DT 68.pdf


Preview of PDF document dt-68.pdf

Page 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12

Text preview


2

VÁRIOS

DESPORTIVO Transmontano
Terça-feira, 9 de Outubro de 2012

OPINIÃO  Fernando Parente*

A CONDUTA DO ÁRBITRO
Nos últimos anos, o futsal, foi a modalidade que
mais cresceu em Portugal,
sendo na minha perspetiva,
aquela que maior margem,
ainda tem para evoluir, isto
se, todas as restantes entidades envolvidas, também evoluírem.
Tais evoluções, podem
permitir que este fantástico
desporto possa adquirir um
tratamento científico, exigindo, consequentemente, uma
atuação mais ativa de profissionais cada vez mais qualificados, que possam atuar em
todas estas áreas, na obtenção de melhores resultados.
Diversas pessoas envolvem-se cada vez mais, no
quotidiano do futsal, desde
atletas, treinadores, preparadores físicos, fisioterapeutas,
médicos, dirigentes, todos,
ou quase todos, comungam
da mesma paixão pela modalidade.
As competições e os jogos
são cada vez mais equilibrados, neste contexto, o árbitro
assume um papel decisivo,
sendo ele, o mediador dos
“confrontos” entre os clubes
nos diversos campeonatos.
No desempenho de suas
funções, o árbitro deverá
sempre proceder com imparcialidade, independência,
competência e discrição.
Assim, pode-se afirmar
que o sucesso da arbitragem
depende da qualidade moral,
física e técnica daqueles que
irão desempenhar o papel de
árbitros. Porque, através da

sua capacidade física e técnica, na lisura do seu comportamento, na seriedade das
suas decisões e no julgamento dos lances durante as partidas, repousam a segurança
e confiança de todos os aqueles que estão envolvidos no
futsal. Daí, a necessidade de
permanentemente, se manterem numa condição física
e técnica condizente com a
atual dinâmica da modalidade.
Por outro lado, a preocupação com a idoneidade,
onde por vezes, os valores
morais são colocados em
causa, exige cada vez mais
do árbitro, uma postura condigna, e um cuidado cada vez
maior, com sua imagem fora
da superfície de jogo.
É extremamente importante, proteger a integridade do árbitro, quer dentro,
como fora da superfície de
jogo. Embora, o árbitro esteja consciente das suas responsabilidades, deverá estar
igualmente preparado, para
manter o respeito entre os
outros intervenientes no jogo
e sobretudo fora dele! Isto
implica, nunca expressar a
sua opinião, sobre jogadores
e clubes, tendo consciência,
que a sua imagem, está sujeita ao julgamento dos outros.
Assim sendo, a regra essencial que o árbitro deve ter,
quando escolher envergar
por tal atividade, é ter a plena noção que terá capacidade para cumprir a sua tarefa
com total imparcialidade,

pois nisto reside a seriedade
e a confiança dos restantes
protagonistas do jogo.
O árbitro deve sempre tomar decisões justas e corretas de acordo com as leis do
jogo. Nesta mesma perspetiva, deve possuir um perfeito
conhecimento destas, além
de ser importante que possa
dedicar à arbitragem algum
tempo por semana, para o
desenvolvimento de sua condição física e técnica.
A principal missão do árbitro é assegurar que o jogo
se desenrole de acordo com
as regras, interferindo o menos possível, empenhando-se em satisfazer os seguintes
pontos:
• Assegurar que o jogo se
desenvolva de acordo com as
regras estabelecidas;
• Interferir o menos possível, evitando tornar-se a
“figura do jogo”;
• Estabelecer e manter
um bom ambiente com todos
os intervenientes no jogo;
• Mostrar preocupação
com a integridade física dos
atletas;
Ao fazer isto, a atuação do
árbitro resulta na perfeição.
Isto assegura que as decisões
dos árbitros sejam sempre
entendidas como corretas.
Em síntese, a interpretação e
julgamento com base em critérios acertados, são a principal fonte de sintonia.
Esta sintonia dentro do
jogo implica uma interpretação uniforme das regras e
torna-se determinante para

uma arbitragem eficaz. Contudo, a consistência de um
árbitro em vários jogos ao
longo da época, é igualmente
importante. Um bom árbitro
aplica as regras corretamente jogo após jogo e não apenas quando é alvo de pressões, ou quando sente que
está a ser observado.
Muitos árbitros são inconsistentes, porque não
conseguem aplicar corretamente as leis de jogo, por
falta de interpretação destas,
tal como outros, não têm o
posicionamento correto na
superfície de jogo. Contudo, isto também é fruto da
precária formação, dada nos
cursos, onde a falta de aulas
práticas é uma grande evidência.
Outro requisito para alcançar um alto nível de consistência implica ter uma
forte capacidade mental e
emocional. A arbitragem
consistente requer um estado mental estável. Oscilações
no desempenho encontram-se frequentemente relacionadas com questões de foro
psicológico.
Para finalizar, apesar de
a arbitragem implicar cuidados éticos, conhecimentos
técnicos e uma ótima condição física, ser árbitro… ou
melhor, ser um bom arbitro,
é definitivamente uma arte.
E a arte evidenciada por
um árbitro no ambiente da
competição depende, em
grande medida, das suas
qualidades pessoais.

Tarde Desportiva (Domingos 17h)
Todos os Domingos, na RCA, a partir das 17 horas, em 95.5 FM (Rádio Clube Aguiarense), o relato directo e
integral do jogo do Juventude de Pedras Salgadas. Relato conduzido por Luís Roçadas e comentários de Sérgio Raquel.

Bancada Central (Segundas 11h)
Todas as segundas, na RCA, às 11 horas, o rescaldo do fim-de-semana desportivo, em 95.5 FM (Rádio Clube
Aguiarense). Todos os resultados, as entrevistas e a análise com Sérgio Raquel.