FKB ACAO CIVIL PUBLICA 20130419 .pdf

File information


Original filename: FKB - ACAO CIVIL PUBLICA - 20130419.pdf

This PDF 1.3 document has been generated by / ABBYY FineReader 9.0 Sprint, and has been sent on pdf-archive.com on 22/05/2013 at 04:27, from IP address 187.23.x.x. The current document download page has been viewed 1434 times.
File size: 2.3 MB (28 pages).
Privacy: public file


Download original PDF file


FKB - ACAO CIVIL PUBLICA - 20130419.pdf (PDF, 2.3 MB)


Share on social networks



Link to this file download page



Document preview


MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

EXCELENTÍSSIMO
COMARCA

SENHOR

DE ITAPETIN

DOUTOR

JUIZ DE DIREITO

DA

VARA

CÍVEL DA

INGA.

O MINISTÉRIO P U B L I C O DO E S T A D O D E SÃO
P A U L O , p o r s e u P r o m o t o r d e Justiça i n f r a f i r m a d o , n o uso de suas atribuições
l e g a i s , v e m , r e s p e i t o s a m e n t e , p e r a n t e V o s s a Excelência, c o m supedãneo nos
a r t i g o s 127 e 1 2 9 , inciso III, d a Constituição F e d e r a l ; a r t i g o 5° d a Lei 7 . 3 4 7 / 8 5 ;
a r t i g o 2 5 , inciso IV, alínea " a " , d a Lei 8 . 6 2 5 / 9 3 ; a r t i g o 1 0 3 , inciso VIII, d a Lei
E s t a d u a l C o m p l e m e n t a r 7 3 4 / 9 3 ; a r t i g o s 4 9 , 6 6 e 6 7 e s e g u i n t e s d o Código C i v i l ;
a r t i g o 2 7 3 , caput e inciso I, e a r t i g o s 1199 e s e g u i n t e s d o Código d e Processo
C i v i l , p r o p o r a p r e s e n t e AÇÃO C I V I L PÚBLICA DE DESTITUIÇÃO D E F I N I T I V A D E
DIRIGENTES
REALIZADA

E A DECRETAÇÃO D E N U L I D A D E
NO D I A 2 7 D E A B R I L

DE 2 0 0 6

DA ALTERAÇÃO
CUMULADA,

ESTATUTÁRIA

c o m pedido

de

a n t e c i p a ç ã o d e t u t e l a i n a u d i t a a l t e r a p a r s , e m face d a FUNDAÇÃO K A R N I G
B A Z A R I A N , instituição s e m fins l u c r a t i v o s , c o m p e r s o n a l i d a d e jurídica d e direito
p r i v a d o , c o m e s t a t u t o social r e g i s t r a d o n o cartório d e R e g i s t r o d e Imóveis,
Títulos e D o c u m e n t o s e C i v i l d e P e s s o a s Jurídicas, r e g i s t r a d o s o b n° 147, página
1 8 5 , U v r o A, e m 2 9 d e l a n e l r o d e 1 9 8 , Inscrita n o C N P ] 5 0 . 7 9 0 . 8 2 3 - 0 0 0 1 / 3 6 ,
c o m s e d e e administração à r o d o v i a R a p o s o T a v a r e s , K m 1 6 2 , Itapetininga-SP;
d e Cliel R a m o s M a u r i c i o , b r a s i l e i r o . P r o m o t o r ríe Justiça a p o s e n t a d o , professor,

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

residente

e

domiciliado

na R u a Maio

Grosso,

9 6 , Bairro

Santa

Terezinha,

S o r o c a b a S P , R G 8 . 4 3 2 . 0 5 9 ; d e André Luiz S i l v e i r a V i e i r a , b r a s i l e i r o . A d v o g a d o e
P r o f e s s o r , R G 2 3 . 2 8 1 . 5 5 3 - 7 , r e s i d e n t e e d o m i c i l i a d o n a r u a José M a n a F e r r a z ,
J d . Shangrilá, n e s t a ; d e Mário César d e C a s t r o , brasileiro p r o f e s s o r , r e s i d e n t e e
d o m i c i l i a d o n a r u a R u b e n s B r a s i , 0 3 , J d . C o l o m b o , nesta R G 7 . 7 0 4 . 1 0 0 ; d e
M a r c u s Vinícius B r a n c o d e S o u z a , brasileiro, professor; d e A n t o n i o
Pontes,

brasileiro, professor;

d e José A n t o n i o

Soares,

brasileiro,

Machado
professor,

r e s i d e n t e e d o m i c i l i a d o n a r u a P e . A n t o n i o B r u n e t t i , 7 8 3 , V i l a R i o B r a n c o , nesta
R G 7 . 2 5 4 . 6 1 1 ; d e João T r i n d a d e G o m e s Filho, brasileiro, professor, r e s i d e n t e e
domiciliado

na rua Antonio

Almeida

Leme,

54, Vila

Santana,

nesta, R G .

5 . 5 5 1 . 2 5 6 ; d e José R o b e r t o M e d e i r o s M a r q u e s , brasileiro, p r o f e s s o r , a d v o g a d o ,
r e s i d e n t e e d o m i c i l i a d o n a r u a José Bonifácio, 6 0 7 , centro, n e s t a R G 5 . 8 6 2 . 0 7 3 ;
d e M a r c e l o A n t o n i o Ribeiro C a m a r g o , brasileiro, professor; d e M a r c u s

Antonio

O u t r a D i a s , brasileiro, r e s i d e n t e e d o m i c i l i a d o n a r u a A l b e r t o leme C a v a l h e i r o ,
4 4 5 , J d . Sangrilá, n e s t a , R G 1 0 . 2 2 6 . 5 8 3 ; d e I r a c e m a d e C a r i t a s M u z a S o a r e s
Mauricio, brasileira, professora, residente e domiciliada na rua Eng. Sergio Andra
O l i v e i r a M a c h a d o , 1 7 2 , Jd. C o l o m b o , n e s t a R G 9 . 8 6 8 . 2 5 9 ; d e José U b i r a j a r a de
C a m p o s , brasileiro, r e s i d e n t e e d o m i c i l i a d o n a rua Prof. V i r g i l i o S i l v e i r a , 118,
centro, nesta, R G . 3.861.58b; t o d o s m e m b r o s d o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a
Fundação K a r n l g B a z a r i a n , órgão máximo d a administração d a r e f e r i d a
Instituição ( d o c u m e n t o a n e x o ) , p o d e n d o t o d o s também s e r l o c a l i z a d o s
na

rodovia

Raposo

Tavares, K m 162, Itapetininga-SP,

pelas r e l e v a n t e s

razões d e f a t o e d e direito q u e p a s s a a e x p o r :

1 - DOS FATOS

Inicialmente

é

indispensável

apresentar

a

conceituação doutrinária d e fundação, c o m a finalidade d e identificar a g r a n d e z a
p e c u l i a r d e s s a p e s s o a jurídica d e direito privado, b e m c o m o traçar parâmetros
claros

voltados

a

demonstrar,

como

se

verá

adiante,

o

processo

de

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÀO PAULO

transformação v i o l e n t a e ilegal q u e a Fundação K a r n i g B a z a r i a n foi e é s u b m e t i d a
p e l o s s e u s D i r i g e n t e s , t r a n s f o r m a n d o - a e m p r o p r i e d a d e particular s e m q u a l q u e r
fim social.

Tal

tarefa,

contudo,

exige

o

auxilio

da

doutrina

Segundo os ensinamentos
A s s i s A l v e s , " a fundação
bens destinados

sempre

fui conceituada

a um fim determinado,

patrimônio pode ser feita por pessoa

de F r a n c i s c o d e

como uma universalidade

de interesse

coletivo.

de

A destinação

desse

inestimável

obra,

física ou jurídica."

Clóvis

Beviláqua,

em

c o n c e i t u a a fundação c o m o " u n i v e r s i d a d e d e bens p e r s o n a l i z a d a , e m atenção a o
f i m , q u e lhe dá u n i d a d e " (Código C i v i l d o s E s t a d o s U n i d o s d o Brasil C o m e n t a d o ,
L i v r a r i a Francisco A l v e s , 1 9 5 9 , São Paulo, v o l . I, p. 6 7 )

T e m - s e , a i n d a , o conceito
J u r i s t a Mário R o t o n d i , para o q u a l
destinado

a um fim (por exemplo,

dizer, destinado
categorias
estável,

a servir

de sujeito.
o que

perpétua".

não

(Instituciones

"a fundação

benéfico, religioso,

a satisfação de algumas
O patrimônio

quer

dizer

consiste

que

de derecho

a

fundação

privado,

em um

cultural,

necessidades

é destinado

d e fundação do
patrimônio

patriótico etc),
de

determinadas

a este fim de uma
deva

ser

è

maneira

necessariamente

B a r c e l o n a , Labor, 1 9 5 3 , p. 168)

A i n d a n a linha d e conceítuação, e x t r a i - s e d a s
lições d e José E d u a r d o S a b o Paes q u e a fundação " c o m o p e s s o a jurídica d e
d i r e i t o p r i v a d o p r e v i s t a n o art. 4 4 d o Código C i v i l , consiste e m u m c o m p l e x o d e
b e n s d e s t i n a d o s à consecução d e ftns s o c i a i s e d e t e r m i n a d o s e, c o m o
bonorum,

universitas

o s t e n t a papel v a l o r o s o e d e e x t r e m o relevo e m q u e se i n s e r e , pois é

i n s t r u m e n t o efetivo p a r a q u e os h o m e n s p r e s t e m serviços s o c i a i s e de utilidade

-1

'

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

pública

diretamente

a todos

aqueles

que necessitam,

bem como

possam

t r a n s m i t i r às s u c e s s i v a s gerações s e u s ideais e convicções, e s e g u i r a t u a n d o .
(Fundações, Associações e E n t i d a d e s de Interesse S o c i a l , 6

Edição, r e v i s t a ,

a

a m p l i a d a e a t u a l i z a d a d e a c o r d o c o m o n o v o Código C i v i l brasileiro, E d i t o r a
Brasília Jurídica, p . 6 6 ) .

Diante

de t a i s c o n c e i t o s ,

constata-se com

f a c i l i d a d e a destinação social d o patrimônio d a fundação q u e , d i f e r e n t e m e n t e d a s
associações, é p e s s o a jurídica q u e se o r g a n i z a e m t o r n o d e u m e l e m e n t o
f u n d a m e n t a l , q u e é o patrimônio d e s t i n a d o à execução d o s fins s o c i a i s .

No

caso

vertente,

a

Fundação

Karnig

B a z a r i a n , a j u l g a r pela alteração estatutária o c o r r i d a pela penúltima v e z ( 3 0 d c
março d e 1 9 9 9 ) ,

m a n t i n h a - s e c o m o e n t i d a d e autónoma ( a r t . 1°, 2° e 3°),

a s s e g u r a d a a consecução d e s e u s fins c o n s o a n t e disposições estatutárias:

O

a r t . 1°

do

Estatuto

dispunha

que

a

Fundação K a r n i g B a z a r i a n - F K B , e n t i d a d e autõnoma, comunitária, s e m fins
lucrativos,

de duração

personalidade

jurídica

i l i m i t a d a , instituída
d e direito

privado,

mediante
tem sede

escritura
e

foro

pública, c o m
na cidade

de

I t a p e t i n i n g a , E s t a d o de São P a u l o , e rege-se p e l o p r e s e n t e Estatuto e p e l a s leis
q u e d i s c i p l i n a m a educação e s c o l a r e m todos os níveis (fls. 1 0 2 ) .

O

a r t . 2° p r e v i a q u e a

Fundação

Karnig

B a z a r i a n é d i r i g i d a p o r u m C o n s e l h o d e C u r a d o r e s , i n t e g r a d o por r e p r e s e n t a n t e s
docentes

e

discentes

representantes

das

originários

entidades

de atividades

mantidas

membros

profissionais,

da

comunidade

c a t e g o r i a s o u órgãos

d i s t i n t o s e d a s classes p r o d u t o r a s , t o d o s r e g u l a r m e n t e constituídos n a f o r m a de
seus Estatutos.

<ásr
MINISTÉRIO PUBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Parágrafo

único

-

As

atividades

e x c l u s i v a m e n t e d e C u r a d o r nào serão r e m u n e r a d a s , m a s terão s e m p r e c a r a t e r
honorífica p a r a o efeitos legais.

O Art. 3

o

r e z a v a q u e a Fundação

Karnig

B a z a r i a n t e m por o b j e t i v o m a n t e r a s F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s de I t a p o t i n i n g a , e
o u t r a s instituições d e e n s i n o s u p e r i o r , pós-graduação, de p e s q u i s a e extensão
q u e v i e r e m a s e r constituídas, b e m c o m o e s t a b e l e c i m e n t o s d e ensino d e outros
níveis, a b r a n g e n d o

a

educação

infantil, ensino

fundamental

e

médio, e m

consonância c o m a legislação aplicável.
Parágrafo único - A s fundações

Integradas

d e I t a p e t i m n g a c o m o s c u r s o s d e D i r e i t o , Administração, Comunicação Social e
Educação Física, Já instalados e o u t r o s q u e v e n h a m a s e r c r i a d o s , poderão s e
constituir e m Centro

Universitário

ou Universidade,

obedecida

a

legislação

f e d e r a l aplicável.

Pois b e m , m a n t i d o o perfil e s t a b e l e c i d o no
E s t a t u t o m o d i f i c a d o n o a n o d e 1 9 9 9 , a g a r a n t i a d a Fundação e s t a v a p r e s e r v a d a
e m t o d a a s u a extensão, c o m finalidade especifica e licita d e a c o r d o c o m a
legislação pátria e s e g u n d o a v o n t a d e d o instituidor, e s t a n d o o s e u patrimônio
preservado

e

administrado

por

órgãos

autónomos

segundo

a

previsão

estatutária.

T o d a v i a , no d i a 2 7 de abril d e 2 0 0 5 h o u v e a
modificação d o e s t a t u t o ,

c o m o efetivo

d e s v i r t u a m e n t o d a s finalidades

da

Fundação K a r n i g B a z a r i a n , e m a f r o n t a a o s a r t s . 6 2 c 67 d o Código C i v i l , ocasião
e m que foram criados alinhamentos desiguais à estrutura anterior.

O s fins d a Fundação K a r n i g B a z a r i a n n a s u a
o r i g e m g a n h a r a m relevância e perfil l e g a l , pois a s u a n a t u r e z a tinha c a r a t e r
e v i d e n t e m e n t e c u l t u r a l , d e s t i n a d a s à educação e à elevação d o c o n h e c i m e n t o e m

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

d i v e r s o s s e g u i m e n t o s d a s ciências, o f o m e n t o à p e s q u i s a , a manutenção d o s
e n s i n o s infantil, f u n d a m e n t a l , médio e s u p e r i o r , voltados à c o m u n i d a d e , d a qual
é p a r t e i n t e g r a n t e e indissociável, c a l c a d a n o e s p i r i t o de s o l i d a r i e d a d e traçado
p e l o s o b l e t i v o s c o n s t i t u c i o n a l m e n t e p r e v i s t o s n a C a r t a Política:

A r i . 3* Constituem objetivos fundamentais da
República Federativa do B r a s i l :
I

- construir

urna

sociedade

livre,

justa e

solidaria;
II - garantir o desenvolvimento nacional;
III - erradicar a pobreza e a marginalização e
r e d u z i r as desigualdades sociais e reginais.
IV
preconceitos

-

promover

o

bem

de

de origem, raça. s e x o , c o r . idade e quaisquer outras

todos,

sem

íormas de

discriminação.

P o r t a n t o , a manutenção d o s propósitos d a
fundação c o n s t i t u i u m a d e s u a s vigas m e s t r a s e q u e deverá ser p r e s e r v a d a
d u r a n t e t o d a a s u a duração, iniciada c o m a instituição d o patrimônio d e s t i n a d o a
consecução d o s fins sociais.

0

processo

ruinoso

trouxe

alterações

f l a g r a n t e m e n t e contrárias à legislação e m vigor, q u e a u m só t e m p o i g n o r o u o
r e q u i s i t o f o r m a l a o e s t a b e l e c e r a possibilidade d a extinção d a Fundação K a r n i g
Bazarian,

e plsoteou

o requisito

m a t e r i a l ao a d m i t i r o d e s v i r t u a m e n t o d a s

f i n a l i d a d e s d a fundação.

1 - DA LEGITIMIDADE
PÚBLICO

D O MINISTÉRIO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

O Ministério Público, c o m o s e s a b e , e a p e n a s
se r e i t e r a p o r razões de m e r a c a u t e l a , p o s s u i a atribuição c o n s t i t u c i o n a l e legal
d e fiscalizar as fundações p r i v a d a s , n a m e d i d a e m q u e o patrimônio d o ente
f u n d a c i o n a l é c o n s i d e r a d o d e i n t e r e s s e s o c i a l , s u a s finalidades sào v o l t a d a s à
colebvidade - abrangentemente

considerada

pátrio c o n c e d e u

a

ao

"Parquet"

ou

não

-

e o legislador

civil

r e l e v a n t e missão d e velar por t a i s pessoas

jurídicas.

Inserido

na

Constituição

da

República

Tederativa d o Brasil está a disposição legal q u e e s t a b e l e c e c o m o atribuição d o
Ministério Público promover

o inquérito

civil

e a a cão civil

proteção do patrimônio público e social, do meio ambiente
difusos e

pública,

e de outros

para

a

interesses

coletlvos.

O

artigo

6 6 d o Código

Civil,

e m estrita

observância ao preceito c o n s t i t u c i o n a l , prevê q u e o Ministério Público velará
pelas fundações o n d e s i t u a d a s .

A s s i m , a o Ministério Público não c a b e aceitar.
s e m q u a l q u e r q u e s t i o n a m e n t o , as deliberações dos dirigentes d a s fundações, o u
a c a t a r a s suas pretensões, n a m e d i d a e m q u e lhe é d e s t i n a d o l e g a l m e n t e a
d e f e s a d o s i n t e r e s s e s f u n d a c i o n a i s , cuja finalidade não é o u t r a q u e a s s e g u r a r a
cfctivaçâo d o i n t e r e s s e s o c i a l .

É obrigação d o Ministério Público a realização
d e a t o s d e investigação, m e d i a n t e inquérito civil, c o m o também o a j u i z a m e n t o
d e ação c i v i l pública v o l t a d a à proteção d o interesse s o c i a l .

O
299/735,

in RE 4 4 3 8 4 - S P )

própno

registrou

Supremo

que compete

Tribunal

Federal

a o Ministério

(RT

Público o

p r o c e d i m e n t o Judicial p a r a destituição d e todos o s dirigentes f u n d a c i o n a i s , a o

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

p a s s o q u e o S u p e r i o r Tribunal d e Justiça ( D J 2 6 . 1 0 . 9 8 , Jurisprudência d o S T J , 1,
ano 1999) admitiu

q u e p o d e o Parquet a j u i z a r ação v i s a n d o o a f a s t a m e n t o d e

c u r a d o r e s , inclusive.

Nesse

sentido,

é

indispensável

trazer

a

colação a s lições d o ilustre j u r i s t a S e a b r a Fagundes, citado e m o b r a d e valor
inestimável d a lavra d e José E d u a r d o S a b o P a e s :

"O papel d o Ministério Público e m relação às
fundações não é d e m e r o o b s e r v a d o r d a s i r r e g u l a r i d a d e s q u e nela o c o r r e m .
T a n t o e m face d o a r t . 2 6 d o Código C i v i l , c o m o os a r t s . 6 5 8 e s e g u i n t e s d o
Código d e P r o c e s s o C i v i l , q u e a q u e l e c o m p l e m e n t a m , o q u e c o m p e t e a esse
órgão é v e l a r e m d e f e s a das f i n a l i d a d e s d a s fundações e d o s s e u s patrimónios. A
expressão d e q u e nesses t e x t o s se u s a - v e l a r pelas fundações - significa a
e n t r e g a , a o Ministério Público, d a g u a r d a a t i v a d a s fundações, d e m o d o q u e
p o s s a fiscalizar as administrações d e l a s p a r a q u e não d e s v i e m d o reto c a m i n h o e
p a r a a t e n d i m e n t o d a s finalidades v i s a d a s pelo f u n d a d o r . "

R e s t a c l a r o , também, o i n t e r e s s e d e agir,
p o i s " q u a n d o a lei c o n f e r e l e g i t i m i d a d e de agir ao Ministério Público, p r e s u m e o
i n t e r e s s e d e agir: n o c a s o , o i n t e r e s s e está n a própria n o r m a q u e c h a m a o
Ministério Público a o p r o c e s s o " ( C a r n e l u t t i , ' M e t t e r e il Pubblico M i n i s t e r o a o s u o
p o s t o " , In " R e v i s t a dl Diritto P r o c e s s u a l e " , Pádua, C e d a m , 1.953, p g . 2 5 8 ; S a t t a ,
" D i r e i t o P r o c e s s u a l C i v i l " , v o l I, n° 4 5 ; c f r . 6 7 1 / 2 4 9 ) .

O interesse de agir é a v a l i a d o pelo binómio
necessidade-adequação (cf. C I N T R A , G R I N O V E R e D I N A M A R C O , in " T e o r i a G e r a l
d o P r o c e s s o " , E d . RT, 1.985, 5 e d . , p g . 2 2 2 / 2 2 3 ) .
a

Presente,

na

hipótese,

a

necessidade

da

t u t e l a j u r i s d i c i o n a l , já q u e o s d i r i g e n t e s d a Fundação e m p r e e n d e r a m e estão

li

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÀO PAULO

e m p r e e n d e n d o a t l v l d a d e s incompatíveis c o m o espírito d a e n t i d a d e social, de
m o d o a a l t e r a r o e s t a t u t o d a Fundação K a r n i g B a z a r i n , t r a n s f o r m a n d o - a e m
e n t i d a d e particular e m sentido estrito - a s s i m e n t e n d i d a c o m o a q u e l a s m a n t i d a s
p o r u m a o u m a i s p e s s o a s físicas o u jurídicas d e direito p r i v a d o

cujas condutas

são r e a l i z a d a s a o a r r e p i o d o e s t a t u t o e d a o r d e m l e g a l .

A

fundação, c o m o

é de conhecimento

de

t o d o s , n a s u a o r i g e m , n a s c e u pela dotação de b e n s livres de s e u fundador,
c u j a s f i n a l i d a d e s f i n c a m - s e nas m e t a s d e s o l i d a r i e d a d e social insculpidas n o
Estatuto Social.

C u m p r e c i t a r o a r t i g o 1 2 0 4 d o C P C q u e prevê
expressamente

a

possibilidade

de

o

Ministério

Público

requerer

a o juízo

c o m p e t e n t e a dissolução d e fundação p r i v a d a . Evidente, n o e n t a n t o , q u e a
sanção (dissolução compulsória) não e x c l u i a aplicação de q u a i s q u e r
medidas

cabíveis,

a

serem

cominadas

contra

os

responsáveis

outras
pelas

irregularidades apuradas.

D e v e - s e entender, também, s e r l e g a l m e n t e
viável a aplicação d e sanção d e a f a s t a m e n t o de dirigente q u e e s t e j a Indo c o n t r a
as disposições estatuárias d e E n t i d a d e c o n s i d e r a d a de i n t e r e s s e s o c i a l . Isso
p o r q u e , s e o Ministério Público p o d e o m a i s , q u e é requerer a DISSOLUÇÃO d e
u m a e n t i d a d e a s s i m q u a l i f i c a d a , é e v i d e n t e q u e também poderá o m e n o s , isto é,
poderá r e q u e r e r a o juízo c o m p e t e n t e a DESTITUIÇÃO de s e u c o r p o d i r i g e n t e ,
responsável pela prática, c o m i s s i v a ou o m i s s i v a , d e i r r e g u l a r i d a d e s q u e v e n h a m
c o m p r o m e t e r o r e g u l a r f u n c i o n a m e n t o d a instituição ou o a t e n d i m e n t o d e s e u s
beneficiários.

A s s i m , as s u p r a c i t a d a s n o r m a s a g a s a l h a m a
viabilidade d o aqui pleiteado.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

C o m o o b j e t i v o d e aferir a r e g u l a r i d a d e d a
Fundação K a r n i g B a z a r i n , foi i n s t a u r a d o p e l o Ministério Público o Inquérito Civil
n° 0 3 / 2 0 0 8 , c u j o s d o c u m e n t o s f a z e m p a r t e d e s t a inicial e a a c o m p a n h a m , e m
face d e denúncias r e l a c i o n a d a s ao d e s v i r t u a m e n t o d a s s u a s f i n a l i d a d e s sociais,
como

forma

d e c r i a r v e r d a d e i r a e própria instituição d e e n s i n o d e c a r a t e r

e m i n e n t e m e n t e p r i v a d o , c o m o r e s g u a r d o e anuência d e s e u órgão máximo
f o r m a d o p e l o s a t u a i s C o n s e l h e i r o s m e m b r o s do C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o .

A criação d e e n t i d a d e f u n d a c i o n a l remete a o
a t o d e instituir ( d o latim instituere), s i g n i f i c a n d o e s t a b e l e c e r , f u n d a r u m ente
jurídico p a r a s e r v i r a u m f i m n o b r e . D e fato, por s e r e m constituídas c o m u m f i m
benéfico p a r a t o d a a s o c i e d a d e o u p a r t e dela, v i s a n d o a u m b e m c o l e t i v o , a
existência e o f u n c i o n a m e n t o d a s fundações não se r e s t n n g e m a o s limites do
p r i v a d o , d o particular ou d o i n d i v i d u a l , p r o j e t a n d o - a s p a r a a dimensão d o direito
público. E s e n d o a expressão d o s o b j e t i v o s d o e n t e f u n d a c i o n a l a razão d a
existência d e fiscalização p e r m a n e n t e d o Ministério Público.

A n t e o e x p o s t o r e s t a indiscutível a atribuição
d o Ministério Público p a r a p r o m o v e r o a f a s t a m e n t o d e s s e s d i r i g e n t e s , b e m c o m o
p l e i t e a r a n u l i d a d e d a r e f o r m a d o E s t a t u t o S o c i a l , q u e se a p o d e r a r a m d a
e n t i d a d e f u n d a c i o n a l c o m o se t r a t a s s e d e patrimônio p e s s o a l

I I - D A S ALTERAÇÕES O C O R R I D A S .

A F K B , a n t e s d a alteração p r o d u z i d a n o d i a
2 7 d e abril d e 2 0 0 5 , e r a d i r i g i d a por m e m b r o s d a c o m u n i d a d e r e p r e s e n t a n t e s
originários d e a t l v i d a d e s profissionais, c a t e g o r i a s o u órgãos d i s t i n t o s e d a s
c l a s s e s p r o d u t o r a s , d e n t r e e l e s , o Prefeito Municipal, o P r e s i d e n t e d a Câmara,
um

representante

Jornalistas
Seccional

e
de

do

Ministério

Radialistas,
Polida;

Público,

presidente

presidente

da

da

o

presidente

Subsecção

Associação

da

da

Associação d o s

OAB/SP;

Comercial,

Delegado

Industrial

e

MINISTÉRIO PÚBLICO DO F.STADO DE SÀO PAULO

Agropecuária,

presidente

do

Rotary

Club,

presidente

do

Lions

Club,

dois

p r o f e s s o r e s d a s F a c u l d a d e s m a n t i d a s , d o i s alunos e o p r e s i d e n t e d a F K B (art. 12,
§ 1°, b, d o E s t a t u t o r e v o g a d o ) .

A

alteração

estatutária,

ao

arrepio

da

disposição v i g e n t e , prevê:

Art.

12. A Fundação K a r n i g B a z a r i a n c o n t a

c o m a s e g u i n t e e s t r u t u r a orgânico-funcional e a d m i n i s t r a t i v a :
I - órgão d a administração s u p e r i o r ;
II - órgão d e Execução;
III - órgãos a u x i l i a r e s ;
§ 1° É ó r g ã o d e A d m i n i s t r a ç ã o S u p e r i o r :
I - O Conselho Deliberativo;
§ 2 São órgãos d e Fiscalização:
o

I - o C o n s e l h o Fiscal S u p e r i o r ;
II - a A u d i t o r i a I n t e r n a ;
§

3

São

o

órgãos

de

Execução

(Diretoria

Executiva):
I - O Diretor Executivo;
II - O V i c e - D i r e t o r E x e c u t i v o ;
III - O Diretor Financeiro;
IV - O D i r e t o r de Patrimônio

Art.

13. A o C o n s e l h o

Deliberativo

e ao

Conselho Fiscal Superior apllcam-se as seguintes normas:
I - O s colegiados f u n c i o n a m c o m a presença
de

maioria absoluta

de seus

membros

e decide

por m a i o r i a s i m p l e s dos

p r e s e n t e s , s a l v o disposição e m contrário d e s t e F s t a t u t o ;
II - O P r e s i d e n t e d o C o l e g i a d o
d a v o t a ç ã o e, n o c a s o d e e m p a t e , t e r á o v o t o d e q u a l i d a d e .

«H

-

participa

MINISTÉRIO PÚBLICO IX) KSTAIX) DE SÃO PAULO

(...)
VI

-

A

ausência

de

determinada

c a t e g o r i a o u c l a s s e d e r e p r e s e n t a n t e s não i m p e d e o f u n c i o n a m e n t o d o s
C o l e g i a d o s n e m i n v a l i d a a s s u a s decisões.
(...)
Capítulo II - D o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o
A r t . 14. O C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o é ó r g ã o
c o l e g i a d o d e l i b e r a t i v o d a administração s u p e r i o r da F K B , constituído p o r
m e m b r o s n a t o s , e l e i t o s e honorários a s s i m :
] - São m e m b r o s n a t o s :
a) o P r e s i d e n t e do colegiado máximo d a
instituição d e e n s i n o s u p e r i o r m a n t i d a p e l a F K B , o u e o p r e s i d e :
b)

os

Coordenadores

de

Cursos

da

instituição d e e n s i n o s u p e r i o r m a n t i d a p e l a F K B ;
c) são m e m b r o s eleitos:
a j o chefe de Departamento, c o m mandato
de dois anos;
b) u m professor, c o m m a n d a t o d e d o i s a n o s ;
III) s ã o m e m b r o s h o n o r á r i o s ;
a)

três

representantes

d a sociedade

civil

o r g a n i z a d a d o município s e d e , e s c o l h i d o s por 2/3 d o s m e m b r o s d o colegiado
p a r a m a n d a d o d e sois a n o s d e n t r e lista sêxtupla.

A modificação realizada r e t i r a por c o m p l e t o o
carater
oriundos

comunitário

d a Fundação, pois,

da comunidade

se a n t e s

havia diversos

de Itapetininga, atualmente

são a p e n a s

Curadores
três c o m

intervenção p r a t i c a m e n t e n u l a , e os d e m a i s m e m b r o s são extraídos d o s q u a d r o s
das Faculdades Integradas.

Não m e n o s p e r n i c i o s o ã n a t u r e z a fundacional
é o q u a d r o d e m e m b r o s natos, q u e c o r r e s p o n d e ao (i) p r e s i d e n t e d o colegiado

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

máximo d a instituição d e e n s i n o s u p e r i o r m a n t i d a pela F K B , q u e o preside,
t r a t a n d o - s e d o C o o r d e n a d o r Académico, c o n f o r m e adiante se verá, e (li) o s
C o o r d e n a d o r e s d e C u r s o s d a Instituição d e ensino s u p e r i o r m a n t i d a p e l a F K B .

E s t a alteração c o n s t i t u i v e r d a d e i r a e própria
aberração c r i a d a

pela

reforma

estatutária, pois,

o Presidente

do

Conselho

D e l i b e r a t i v o - m e m b r o n a t o q u e o p r e s i d e , i n c l u s i v e - é o responsável pela
nomeação

dos

demais

membros

natos,

pois

é

ele

quem

nomeia

os

C o o r d e n a d o r e s d a instituição m a n t i d a .

A p o n t a r o m segurança p a r a a i m p r o p r i e d a d e
jurídica d a instituição d e m e m b r o s n a t o s , o i. j u n s t a José Eduardo S a b o Paes:

"A r e g r a é q u e t o d o s o s i n t e g r a n t e s d e todos
o s c o n s e l h o s t e n h a m o exercício d e s u a s funções c o n d i c i o n a d o p o r u m m a n d a t o ,
u m período c e r t o e definido p a r a o Início e término d e s u a s a t i v i d a d e s . Pode-se
p e r m i t i r a reeleição o u recondução a n o v o período n o m e s m o c a r g o , m a s s e m p r e
c o m l i m i t e s pré-fixados. A r e g r a a t u a l é a rotatividade, é a "oxigenação" d a
e n t i d a d e c o m a integração d a fundação. A partir d o m o m e n t o e m q u e a fundação
a d q u i r e p e r s o n a l i d a d e jurídica, e l a g a n h a v i d a própria e, o b v i a m e n t e , distinta d a
vontade daqueles q u e foram seus
E n t i d a d e s d e Interesse S o c i a l ,

6

i n s t i t u i d o r e s . " (Fundações, Associações e
Edição, r e v i s t a , a m p l i a d a e a t u a l i z a d a de

a

a c o r d o c o m o n o v o Código C i v i l brasileiro, E d i t a r a Brasília Jurídica, p. 3 6 1 ) .

D e s t a f o r m a , os m e m b r o s natos d o C o n s e l h o
Deliberativo

são c o i n c i d e n t e s

e restritos a o C o o r d e n a d o r

Académico

e aos

C o o r d e n a d o r e s d e C u r s o s d a s F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s q u e , s e n d o esta m a n t i d a ,
passou à qualidade de mantenedora.

Não

bastasse,

é

necessário

destacar

a

ausência d e r e p r e s e n t a t i v i d a d e d o s r e p r e s e n t a n t e s d a s o c i e d a d e , no'5, c o n f o r m e

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

já m e n c i o n a d o a l g u r e s , r e d u z i d o a o número d e três, é e v i d e n t e q u e , além de
c o m p o r a m i n o r i a , não t e m q u a l q u e r influência real d e c a r a t e r d e l i b e r a t i v o q u e
v e n h a a t e r repercussão no colegiado, t a l conclusão se d e p r e e n d e , c o m todas as
letras, d o E s t a t u t o d a F K B :
Art.

13. Ao

Conselho

Deliberativo

e

ao

C o n s e l h o Fiscal S u p e r i o r a p l l c a m - s e as s e g u i n t e s r e g r a s :
(-)
IV A ausência d e d e t e r m i n a d a c a t e g o r i a o u
c l a s s e d e r e p r e s e n t a n t e s não i m p e d e o f u n c i o n a m e n t o d o s C o l e g i a d o s n e m
i n v a l i d a d a as s u a s decisões.

Tal e n f e i x a m e n t o d e p o d e r e s d e s t a c a - s e c o m
m a i o r g r a n d e z a n a s disposições estatutárias c o n t i d a s no art. 16:

Art.

16.

Compete

ao

Conselho

Deliberativo:
I - Nomear e dar posse aos integrantes d a
D i r e t o r i a E x e c u t i v a , b e m c o m o d e l i b e r a r s o b r e a transição e destituição d e s e u s
membros;
II - D e f i n i r políticas e d i r e t r i z e s g e r a i s para
a s gestões a d m i n i s t r a t i v a , f i n a n c e i r a , p a t r i m o n i a l e recursos h u m a n o s d a F K B ;
III - D e l i b e r a r sobre c o n t r a t o s , convénios,
a j u s t e s , orçamento a n u a l , p r o g r a m a d e trabalho e relatório a n u a l d a D i r e t o r i a
Executiva;
IV

-

Determinar à

Diretoria Executiva a s

providências q u e j u l g a r necessárias ao i n t e r e s s e d a F K B ;
V - A l t e r a r e s t e Estatuto, p e l o v o t o d e 2/3
( d o i s terços) d e s e u s m e m b r o s , s u b m e t e n d o - o à aprovação d o Ministério Público,
na forma da lei;
(-)

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

X - N o m e a r o s d i r i g e n t e s máximos d a s
instituições d e e n s i n o m a n t i d a s p e l a F K B
(...)

Em

suma,

tem-se

instalado

a

fórcipes

o

p r o c e s s o d e m e t a m o r f o s e d e m a n t i d a e m m a n t e n e d o r a , posto p u l v e r i z a d a a
Fundação K a m i g B a z a r i a n , n a m e d i d a e m q u e o C o o r d e n a d o r Académico
dirigente

máximo

das Faculdades

Integradas

-

é nomeado

pelo

-

Conselho

S u p e r i o r d a F K B , órgão p o c i e presidido, ao l a d o d e outros m e m b r o s
r

natos,

c o n f o r m e já a n a l i s a d o - os C o o r d e n a d o r e s de C u r s o s - p o r ele n o m e a d o s , o u
seja, conquanto nomeado pelo Conselho

Deliberativo d a F K B , o C o o r d e n a d o r

Académico é eleito pelo C o n s e l h o S u p e r i o r d a s Faculdades I n t e g r a d a s , c o n f o r m e
s e verá a d i a n t e .

O

ciclo,

portanto,

está

fechado

e

a

p e r p e t u i d a d e no p o d e r g a r a n t i d a . L m o u t r a s p a l a v r a s , é o C o n s e l h o S u p e r i o r d a s
Faculdades Integradas q u e m elege o presidente do Conselho

Deliberativo d a

FKB

E
alterações

mantiveram

a

Diretoria

importante
Executiva

destacar,

ainda,

subordinada

ao

que

as

Conselho

D e l i b e r a t i v o , c o n f o r m e se o b s e r v a d o d o a r t . 17 d o Estatuto S o c i a l :

Art. 1 7 . A Diretoria Executiva,

subordinada

a o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o , é órgão d e execução d a F K B , s e n d o e x e r c i d a por
q u a t r o D i r e t o r e s E x e c u t i v o s i n t e g r a n t e s d e s e u q u a d r o d e p e s s o a l (...)

E s p e r a - s e , p o r t a n t o , de u m a fundação e d e
s e u s d i r i g e n t e s , c o n d u t a s n o b r e s , éticas e legais. Esse padrão, n o e n t a n t o , não é
o b s e r v a d o p e l o s Diretores e p e l o s C o n s e l h e i r o s d a Fundação K a r n i g B a z a r i a n . D e
fato, são m u i t a s a s i r r e g u l a r i d a d e s e a s i l e g a l i d a d e s c o m e t i d a s .

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

A

melhor

doutrina

enumera

as

principais

características das fundações, s u b d i v i d m d o - a s e m c i n c o : a ) a finalidade ou os
fins;

b) a

origem

e

forma

d e criação;

c) o patrimônio; d ) o m o d o

de

administração; e ) o v e l a m e n t o d o Ministério Público. (José E d u a r d o S a b o Paes,
Fundações, Associações e E n t i d a d e s de Interesse S o c i a l , 6

a

Edição, revista,

a m p l i a d a e a t u a l i z a d a d e a c o r d o c o m o n o v o Código C i v i l brasileiro, Editora
Brasília Jurídica, p. 6 7 ) .

A o t o m a r c o m o parâmetro t a i s e n s i n a m e n t o s
doutrinários, t e m o s q u e as características r e l a c i o n a d a s ( a ) a finalidade o u os
fins, (b) e a o r i g e m e f o r m a d e criação, d i a n t e d a a t u a l c o n j u n t u r a , não m a i s
s u b s i s t e m ; esta é a razão d e a Fundação K a r n i g B a z a r i a n não t e r condições d e
s e r t r a t a d a c o m o fundação n o u n i v e r s o jurídico, m a s , s i m , c o m o o u t r a p e s s o a
jurídica.

Nessa

mesma

ausência d a s d e m a i s características f u n d a c i o n a i s

linha, também v e r i f i c a - s e a
e s t a b e l e c i d a s pela doutrina,

q u e será m e l h o r e x p l i c i t a d a nos a r g u m e n t o s s e g u i n t e s .

I I I - D a subordinação n o r m a t i v a d a F K B
à entidade mantida.

A

transformação

da

mantenedora

em

m a n t i d a , c o m c l a r a a f r o n t a â disposição contida no a r t . 6 7 , I, d o Código C i v i l ,
embora

tivesse

s i d o m a n t i d a a m a i o r i a de 2/3, t e m c o m o

sinal dístico a

p o s s i b i l i d a d e d e a r e f o r m a d o E s t a t u t o t e r iniciativa e x c l u s i v a do P r e s i d e n t e d o
Conselho

D e l i b e r a t i v o ou a

r e q u e r i m e n t o d e no mínimo 0 3 (três) d e s e u s

m e m b r o s - n a t o s , c o n s o a n t e dispõe o a r t . 3 5 d o E s t a t u t o .

<

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

T a l d i s p o s i t i v o oferece c o n t o r n o s , c o m t o d a à
evidência, d e q u e a s F a c u l d a d e s

Integradas

de Itapetininga

assumiram

o

c o m a n d o d a F K B , c o m d e s v i r t u a m e n t o , p o r c o m p l e t o , d a finalidade d a e n t i d a d e ,
o q u e é inaceitável, pois a Fundação K a r n i g B a z a r i a n t e m p o r finalidade m a n t e r
as F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a e o Colégio A t h e n a s d o S u l , e não o
contrário.

A assunção d o carater de m a n t e n e d o r a d a s
F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a a s s u m e proporções a v a s s a l a d o r a s q u a n d o
o art. 3 7 do Estatuto c o n f e r e as e n t i d a d e s e d u c a c i o n a i s d e n i v e l s u p e r i o r - s e m
menção a l g u m a a e n t i d a d e d e ensino médio - independência e

autonomia

o r g a n i z a c i o n a l , f i n a n c e i r o - a d m i n i s t r a t i v a , didático-pedagógica e disciplinar, c o m
a

possibilidade

de s e u órgão máximo d e l i b e r a r s o b r e s u a constituição e m

u n i v e r s i d a d e ou C e n t r o Universitário, b e m c o m o

s o b r e a transferência d a

m a n t e n ç a , sern_g.ne, n e n h u m a d i s p o s i ç ã o d e s t e E s t a t u t o
M

n g r m g s c o n t i d a s no r e g i m e n t o u n i f i c a d o

Bflm

afrontar

d a s i n s t i t u i ç õ e s dI e _ e n s i n o

m a n t i d a s . - s u b l i n h e i e negritei

O
Faculdades

Integradas

de

complexo

Itapetininga,

assim

normativo

regente

denominado

de

das

Regimento

U n i f i c a d o , fere d e m o r t e o s i s t e m a jurídico d e s t i n a d o às fundações, i n v e r t e n d o ,
em

carater

irrevogável,

toda

lógica

jurídica,

de

modo

a

transformar

a

mantenedora e m mantida e esta naquela.

Por o u t r a s p a l a v r a s , c o m a m o d i f i c a ç ã o d o
Regimento interno das Faculdades

I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a , ocorrida

no d i a 14 de d e z e m b r o de 2 0 0 5 , h o u v e a elevação d e s t a - a g o r a c o m c o n t o r n o s
c l a r o s e r e g u l a m e n t a r e s - à condição d e m a n t e n e d o r a , d i g a - s e ,
h o u v e s s e a comunicação e aprovação d o Ministério Público.

sem que

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Pode-se, i n c l u s i v e , o b j e t a r a n e c e s s i d a d e de
prévia

comunicação

e aprovação d o Parquet,

porém, c o m o

se t r a t a v a d e

i n s t r u m e n t o d e s t i n a d o a alterar p o r c o m p l e t o a n a t u r e z a jurídica d a Fundação,
h a j a v i s t a a s distorções p r o v o c a d a s n o E s t a t u t o d a m a n t e n e d o r a , c e r t a m e n t e , tal
providência e r a indispensável, o u s e j a , t o d a a movimentação foi r e a l i z a d a d e
m a n e i r a v e l a d a c o m v i s t a s a alcançar f i m ilícito.

Enfim,
ótica jurídica a s alterações

é

provocadas,

absolutamente

inaceitável

d e n t r e as quais,

sob a

a supressão d o s

m e m b r o s d a c o m u n i d a d e n a composição d o órgão d e l i b e r a t i v o , d a modificação
d a condição d e m a n t e n e d o r a d a F K B e m m a n t i d a , d a pacifica aceitação e m
v i s l u m b r a r a real p o s s i b i l i d a d e d e s e r t r a n s f e r i d a a mantença, d a p o u c a ou
n e n h u m a influência d a F K B a o d e p a r a r c o m a possibilidade d e t e r o Estatuto
a l t e r a d o por iniciativa e x c l u s i v a d o P r e s i d e n t e d o C o n s p l h o D e l i b e r a t i v o e t c .

Tal c o n j u n t u r a d e Ilegalidades, r e v e l a

mais

u m a v e z a d e s e s t r u t u r a d a Fundação K a r n i g B a z a r i a n o c o r r i d a c o m a modificação
d o e s t a t u t o e c o m a alteração d o r e g i m e n t o unificado, de m o d o a f u l m i n a r as
caraterísticas próprias d e fundação, p o s t o r e t i r a d o a n a t u r e z a de consecução
social

de

seu

patrimônio,

diminuído

a

praticamente

nada

o

modo

da

administração f u n d a c i o n a l , e, p o r f i m , a f a s t a d o por c o m p l e t o o v e l a m e n t o do
Ministério Público.

I V - D a Subordinação a d m i n i s t r a t i v a .

Ponto

que merece

atenção

especial

é

a

subordinação a d m i n i s t r a t i v a d a F K B , n a m e d i d a e m q u e o s m e m b r o s natos e o
p r e s i d e n t e d o C o l e g i a d o D e l i b e r a t i v o d a Fundação f o r m a m o c o l e g i a d o máximo
da Instituição de e n s i n o s u p e r i o r - F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s de I t a p e t i n i n g a - q u e é
c o m p o s t o d o p r e s i d e n t e d e s t e órgão, e d o s C o o r d e n a d o r e s de C u r s o s d a referida
instituição d e e n s i n o .

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

É indispensável p e r g u n t a r de o n d e s u r g e o
p r e s i d e n t e d o órgão colegiado d e l i b e r a t i v o d a administração s u p e r i o r ? A r e s p o s t a
é e v i d e n t e a o a n a l i s a r o R e g i m e n t o Unificado, e m q u e ali está d i s p o s t o q u e a s
F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a c o m p r e e n d e m os s e g u i n t e s órgãos: (I)
Coordenação Académica S u p e r i o r ; (ii) Coordenação d e C u r s o s ; (iii) Execução e
( i v ) A u x i l i a r e s (art. 3 ) .
o

Por
Académica

constituem-se:

Superior (art. 3 , § I
o

o

(i) C o o r d e n a d o r i a

Académica

e

de

Coordenação

o

(ii) Conselho

- Regimento Unificado).

O
natureza

s u a v e z , os órgãos

Conselho

S u p e r i o r é órgão

normativa, consultiva e deliberativa das Faculdades

máximo d e

I n t e g r a d a s de

I t a p e t i n i n g a e, e m relação à m a n t e n e d o r a , g o z a d e a u t o n o m i a o r g a n i z a c i o n a l ,
a d m i n i s t r a t i v a , didático-pedagógica, cientifica e disciplinar e é constituído p e l o s
seguintes

membros:

(i) C o o r d e n a d o r

Académico, q u e o preside;

(ii) pelos

c o o r d e n a d o r e s d e C u r s o s ; (iii) por u m p r o f e s s o r titular e m exercício, de c a d a
Curso;

( i v ) por d o i s r e p r e s e n t a n t e s d a c o m u n i d a d e ,

preferencialmente com

experiência n a área d o e n s i n o s u p e r i o r , indicados pelo C o n s e l h o S u p e r i o r ; ( v )
p o r d o i s r e p r e s e n t a n t e s d a m a n t e n e d o r a , p o r e l a indicados ( a r t . 5 d o R e g i m e n t o
o

Interno).

A c o o r d e n a d o r i a académica, p o r o u t r o lado,
será e x e r c i d a por u m C o o r d e n a d o r Académico, eleito p e l o C o n s e l h o S u p e r i o r ,
p a r a m a n d a d o de q u a t r o a n o s (art. 0

o

do Regimento Interno).

Importante

frisar

que

compete

ao

C o o r d e n a d o r Académico d e s i g n a r os r e s p e c t i v o s C o o r d e n a d o r e s d e C u r s o ( a r t .
18 d o Regimento Unificado).

4
MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Não

é

necessário

maiores

incursos

para

c o m p r e e n d e r q u e o C o o r d e n a d o r Académico passou à condição d e proprietário
d a s F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a - a s s i m c o n s i d e r a d a s m a n t i d a s -,
b e m c o m o d a m a n t e n e d o r a q u e , c o n f o r m e se verifica de t o d a longa exposição,
p e r d e u s u a razão d e e x i s t i r .

É

Inútil,

portanto,

a

Fundação

Karnig

B a z a r i a n e s c u d a r - s e n a t e s e d e q u e a a t u a l administração a p o l a - s e e m d o i s
órgãos

colegiados

Académico compõe

distintos
os d o i s

e

s e m carater

principais

pessoal,

Conselhos:

pois,

o

Coordenador

o d a Fundação

e o das

Faculdades Integradas.

C o m efeito.

O Presidente d o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a F K B
-

o C o o r d e n a d o r Académico

-

é extraído d a e s t r u t u r a o r g a n i z a c i o n a l das

F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a . O C o o r d e n a d o r Académico é eleito p e l o
C o n s e l h o S u p e r i o r d a s F a c u l d a d e s , q u e , por s u a v e z , é c o m p o s t o e m s u a m a i o r i a
p o r q u e m ele m e s m o a d m i t e , o u s e j a , o s C o o r d e n a d o r e s d e C u r s o , b e m c o m o
um professor titular de cada Curso.

Não
Deliberativo d a FKB, e todos

bastasse,

os demais

o

presidente

do

Conselho

m e m b r o s natos são extraídos d a s

f a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a , p o i s c o i n c i d e m c o m os C o o r d e n a d o r e s de
C u r s o s d a s F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s , c o n j u n t u r a , esta, q u e d e n o t a o insofismável
c a r a t e r autoritário e ilegal.

N e s t e diapasão, o mínimo q u e se pode e x i g i r
d e t a i s a d m i n i s t r a d o r e s , é a fiel observância d o Estatuto f u n d a c i o n a l , o q u a l traça
as dtretrizes a s e r e m p e r q u l r l d a s pela Instituição e a r t i c u l a s u a s disposições de
m o d o a s e r e m a t i n g i d o s os s e u s fins de m a n e i r a eficaz, t o d a v i a , isso c e r t a m e n t e

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

não será possível, posto r e d u z i d o à voz d c m a n d o d o C o o r d e n a d o r Académico
das

Faculdades

Integradas

de Itapetininga

todo

o patrimônio,

estrutura

e

c o n t e x t o legal a t u a l m e n t e r e g e n t e d a Instituição.

Nas preciosas lições d e t d s o n José Rafael,
" d i r i g i r e n t i d a d e f u n d a c i o n a l será s e m p r e u m múnus público, e s p e c i a l m e n t e n o
n o s s o país, o n d e , além d e r e s t r i n g i r - s e , c o m o r e g r a , a f i n a l i d a d e s e s t r i t a m e n t e
l i g a d a s a o i n t e r e s s e público ( c o m o d c resto c m q u a s e todo o m u n d o ) , e n f r e n t a
a i n d a u m a vedação m o r a l d e e x e r c e r c a r g o d e direção n a f o r m a r e m u n e r a d a "
(Fundações e direito - São Paulo: C o m p a n h i a M e l h o r a m e n t o s , 1 9 9 7 , pág. 1 7 2 ) .

V

Da

autonomia

das

Faculdades

I n t e g r a d a s p a r a a transferência d e mantença.

O
provocadas

no E s t a t u t o

e

ponto

consolidada

possibilidade das Faculdades

Integradas,

mais

peio

alto

d a s ilegais

Regimento

p o r meio

Unificado

d e s e u órgão

alterações
está

na

colegiado

máximo, d e l i b e r a r , à revelia d e q u a l q u e r p o s i c i o n a m e n t o d a F K B , s o b r e e v e n t u a l
transferência de mantença.

A Ilegalidade d e tal disposição é flaqrante e
não e n c o n t r a denominação possível n o u n i v e r s o jurídico, pois a m a n t i d a deve
estar

v i n c u l a d a à p e s s o a jurídica d a m a n t e n e d o r a ,

porém

isso não o c o r r e ,

desafiando todo complexo normativo vigente.

A
N a c i o n a l d o B r a s i l , classificou

lei d e Diretrizes e

Bases

da

Educação

as instituições p r i v a d a s d e e n s i n o e m quatro

c a t e g o r i a s , a s a b e r : (i) p a r t i c u l a r e s e m s e n t i d o estrito; (ii) comunitárias; (iii)
c o n f e s s i o n a i s e ( i v ) filantrópicas (art. 2 0 , I a I V ) .

ir
MINISTÉRIO PUBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

As

entidades

mantidas

pela

Fundação

a m o l d a m - s e às c a t e g o r i a s d a s instituições comunitárias, " a s s i m e n t e n d i a s a s q u e
são instituídas p o r g r u p o s d e p e s s o a s físicas o u por u m a o u m a i s

pessoas

jurídicas, Inclusive c o o p e r a t i v a s e d u c a c i o n a i s , s e m fins l u c r a t i v o s , q u e i n c l u a m
na s u a e n t i d a d e m a n t e n e d o r a r e p r e s e n t a n t e s d a c o m u n i d a d e " (art. 2 0 , II, d a Lei
9 . 3 9 4 , c o m redação d a d a p e l a Lei 1 2 . 0 2 0 / 2 0 0 9 ) .

A

lei a o

traçar

o

perfil

comunitário

da

instituição d e e n s i n o privado, não p r e t e n d e u a p e n a s d a r c a r a t e r simbólico a tal
situação,

t e m p o r finalidade

explicitar

que a

entidade

mantenedora

seja

c o m p o s t a p o r r e p r e s e n t a n t e s d a c o m u n i d a d e c o m direito a v o z e v o t o .

O r a , n o c a s o e m t e s t i l h a , c o m a s alterações
provocadas

no estatuto,

restou

reduzido

o

quadro

de

representantes

da

c o m u n i d a d e a o número d e três, q u e constitui a m i n o r i a d e n t r o d o C o n s e l h o
Deliberativo

da

FKB

em

relação

à

representação

comunitária

existente

anteriormente.

O q u e se está b u s c a n d o d e m o n s t r a r é q u e as
F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a c o n t a m c o m 0 6 (seis) c u r s o s d e nível
s u p e r i o r : Direito, Administração, Educação Física, Relações Públicas, Educação
Física B a c h a r e l a d o , P u b l i c i d a d e e P r o p a g a n d a . E, a i n d a , outros 0 5 (cinco) c u r s o s
s u p e r i o r e s d e t e c n o l o g i a : Gestão C o m e r c i a l , Gestão Financeira, Logística, Gestão
d a Segurança P r i v a d a e S e c r e t a r i a d o .

É possível, diante d e t a i s dados, v e r i f i c a r a
d e s p r o p o r c i o n a l i d a d e d a composição do C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a F K B , ou s e j a ,
c o m o u s e m o s r e p r e s e n t a n t e s d a c o m u n i d a d e , as deliberações deverão o c o r r e r ,
s e m q u e s e j a m passíveis d e invalidação (art. 13 V I d o Estatuto d a F K B ) .

t

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Taís r e p r e s e n t a n t e s inseridos c o m o m e m b r o s
d o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o e x i s t e m s o m e n t e p a r a c o n f e r i r aparência d e l e g a l i d a d e
às alterações r e a l i z a d a s .

E m síntese, a a t u a l c o n j u n t u r a p u l v e r i z o u p o r
c o m p l e t o a Fundação K a r n i g B a z a r i a n , r e t i r a n d o - l h e todo c a r a t e r comunitário,
c e r t o q u e tais modificações a t e n d e a o s a n s e i o s d e u m a p e s s o a ou d e u m g r u p o
d e p e s s o a s , de m o d o a f a z e r t a b u l a r a s a d a s disposições d o n o v o Código C i v i l e
da Lei d e D i r e t n z e s e B a s e s d a Educação Nacional, n a d a o b s t a n t e a t e n t a t i v a d a
Comissão e s p e c i a l intuída p e l o C o n s e l h o d a Fundação p r o c u r a r d e m o n s t r a r o
contrário (fls 4 6 4 / 5 1 9 ) .

A s s i m , f u l m i n a d o o carátcr comunitário d a
F K B , c o m a confusão c r i a d a c o m as F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a , haja
v i s t a colidir f r o n t a l m e n t e c o m a s principais disposições estatutárias, essência d a
entidade,

q u e c o n s i s t e e m s u a s disposições finalísticas, d e perfil cultural e

educacional,

autónomo

e comunitário,

a

intervenção

é o

remédio

jurídico

Indispensável, m e d i a n t e o a f a s t a m e n t o , e m carater definitivo, d o s m e m b r o s d o
C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a Fundação e a n u l i d a d e d a r e f o r m a estatutária l e v a d a a
c a b o n o d i a 14 de d e z e m b r o d e 2 0 0 5 .

E s a b i d o q u e a atuaçâo d o s a d m i n i s t r a d o r e s
f u n d a c i o n a i s é l i m i t a d a , c a b e n d o - l h e s a p e n a s o p o d e r d e gestão d a e n t i d a d e ,
c i r c u n s c r i t o ao c u m p r i m e n t a d a v o n t a d e estatutária. Esses fins não p o d e m s e r
d e s v i r t u a d o s , não e x i s t i n d o l i b e r a l i d a d e d e alteração d o s próprios fins, s o b p e n a
d e caracterização d o d e s v i o d e f i n a l i d a d e .

C l a r i v i d e n t e q u e o C o n s e l h o Deliberativo, nas
p e s s o a s d e s e u s C o n s e l h e i r o s , s e d i s t a n c i o u d o c u m p r i m e n t o de suas finalidades,
o q u e dá e n s e j o à intervenção d e s t e Órgão do Ministério Público, d e n t r o d e s u a
missão legal de v e l a m e n t o e fiscalização d a s fundações p r i v a d a s , q u e d e v e m

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÀO PAULO

p r e s t a r serviço público e s o c i a l e tão-somente, não s e r v i n d o p a r a o u t r o s fins q u e
a legislação ou o E s t a t u t o não p r e v e j a m e x p r e s s a m e n t e , e foi e x a t a m e n t e o q u e
ocorreu,

pois,

ao submeterem

a

Fundação

Karnig

Bazarian

ao jugo

das

F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n g a , o s D i r i g e n t e s r e t i r a r a m todo e q u a l q u e r
f i n a l i d a d e social d a fundação, a p r o p r i a n d o - s e , d e m a n e i r a sub-reptícia, d e t o d a a
sua estrutura.

P o r e v i d e n t e , aliás, q u e a g e m d e má-fé os
m e m b r o s d o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v a c o m s u a s c o n d u t a s ilegais e m usar d e u m a
e n t i d a d e d e i n t e r e s s e social p a r a i n t e r e s s e s próprios e p e s s o a i s , n a m e d i d a e m
que, c o m a s alterações d o E s t a t u t o S o c i a l e R e g i m e n t o
instrumento

legal

a

permitir a

Unificado,

apropriação d a Fundação e a

criou-se

consequente

mudança d e s u a n a t u r e z a e m e n t i d a d e p r i v a d a e m s e n t i d o e s t r i t o .

A

destituição

de

todo

o

Conselho

D e l i b e r a t i v o , d i a n t e d o s d e s v i o s a p u r a d o s , é m e d i d a Imperiosa e u r g e n t e . A
Fundação não c o n t a c o m m a i s t e m p o , pois, e m b r e v e lapso t e m p o r a l , poderá s e r
l e v a d a à i n a t i v l d a d e se não t i v e r u m c h o q u e d e gestão e u m a u r g e n t e t r o t a d e
dirigentes.

Nas lições de José E d u a r d o S a b o P a e s l , "A
ação d e destituição d e dirigente de fundação lerá c a b i m e n t o q u a n d o o Ministério
Público c o m p r o v a r q u e os a d m i n i s t r a d o r e s p r a t i c a r a m a t o ilícito, c o m prejuízo ao
patrimônio d a p e s s o a jurídica, o u a t o s d e gestão contrários à lei e a o e s t a t u t o d a
e n t i d a d e q u e a d m i n i s t r a m . E m q u a l q u e r d e s s a s hipóteses, deverá o Ministério
Público u t i l i z a r - s e a ação d e destituição d e d i r i g e n t e , c o m v i s t a a c o i b i r a prática
d e c o n d u t a s ilícitas, c o m f u n d a m e n t o n o a r t . 66 d o Código O v i l , q u e lhe c o n f e r e
a p r e r r o g a t i v a d e v e l a r pelas fundações."

' FAfcS, Josí Eduardo Sano fundações, associações e cmtilaJes de inieresst social, aspecto* ju/úfinn.
tuimimsiraiivos. comâbiis iral>aliu.ua.t e tributários b* ed.. tev., uluil c umpl. dc acordo com o Novo Código
Civil Brasileiro - Bmfltr llraillli Jurídica. 2006. ;< 563

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

A d e m a i s , a p e r p e t u i d a d e de u m a fundação
está i n t i m a m e n t e ligada não só à b o a administração d e s e u patrimônio e o
v e l a m e n t o d e s e u s fins s o c i a i s , c o m o também à preocupação d e s e u s d i r i g e n t e s
em

promover

a credibilidade

permanente

d o ente

fundacional.

E inerente,

p o r t a n t o , q u e os dirigentes d e u m a fundação d e v a m t o m a r p a r a s i a p r e m i s s a d e
dirigir a e n t i d a d e c o m o u m a obrigação, m e s m o p o r q u e há i n t e r e s s e d o b e m
c o m u m d a c o l e t i v i d a d e a t e n d i d a p o r e s s a Instituição.

Tais providências r e v e l a m - s e indispensáveis,
sem

o

que

estará

instituído

e

chancelado

precedente

autorizador

do

d e s m a n t e l a m e n t o d e q u a l q u e r Fundação n e s s e pais.

Da liminar

Justifíca-se a concessão d a antecipação d a
t u t e l a a n t e c i p a d a , i n d e p e n d e n t e m e n t e d e justificação, p a r a o fim d e d e t e r m i n a r
o a f a s t a m e n t o i m e d i a t o d o s m e m b r o s d o C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a Fundação,
nomeando-se

interventor

Judicial

q u e deverá

assumir

a

administração

da

Fundação K a r n i g B a z a r i a n até a e f e t i v a decretação d a n u l i d a d e d o e s t a t u t o d e
?005,

com

o

afastamento

definitivo

dos

atuais

membros

do

Conselho

D e l i b e r a t i v o d a F K B e a e s c o l h a d o n o v o C o n s e l h o p a u t a d o nos m o l d e s no a n t i g o
Estatuto.

A plausibilidade d o direito ameaçado d c lesão
- fumus

bom júris

- está n a p o s s i b i l i d a d e d e o atual C o n s e l h o

Deliberativo

r e a l i z a r a transferência d a m a n t e n e d o r a , c o m o c o n s e q u e n t e prejuízo à Fundação
K a r n i g B a z a r i a n e àqueles q u e , e v e n t u a l m e n t e , a v e n t u r e m - s e p o r t a i s c a m i n h o s ,
e a supressão d o direito s o c i a l , h a j a v i s t a c o n t a r e m os a t u a i s C o n s e l h e i r o s c o m
i n s t r u m e n t o c a p a z d e t r a n s f o r m a r a fundação e m e n t i d a d e
essência.

privada n a s u a

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

Tal conclusão r e v e l a - i c o m m a i o r d e s t a q u e
a o v e r i f i c a r m o s q u e , nada o b s t a n t e a reunião r e a l i z a d a j u n t o a o s m e m b r o s d o
C o n s e l h o Deliberativo d a F K B , e m c u j a o p o r t u n i d a d e foi c o l o c a d a a n e c e s s i d a d e
d a realização d a s alterações d o e s t a t u t o ( f l s . 9 2 9 ) , c u j o s p o n t o s e n c o n t r a m - s e
delineados no voto do Conselheiro Relator m e m b r o do Conselho Superior do
Ministério Público, a m i n u t a e n c a m i n h a d a a esta P r o m o t o r i a d e Justiça ( f l s .
9 4 5 / 9 4 6 ) , c o m a p r o p o s t a d e alteração, t r a d u z a ausência d e interesse e m v e r
r e g u l a r i z a d a s a questão t o r m e n t o s a , n a m e d i d a e m q u e não r e t i r a o perfil d o
Conselho

D e l i b e r a t i v o d a F K B d e órgão s u b m i s s o à C o n s e l h o

Superior das

F a c u l d a d e s I n t e g r a d a s d e I t a p e t i n i n g a , m a n t e n d o todo o p o d e r nas mãos d o s e u
P r e s i d e n t e q u e , e m última análise, c o n t i n u a s e n d o o C o o r d e n a d o r Académico.

Destarte,

é

premente

a

necessidade

de

concessão d a antecipação d e tutela i n d e p e n d e n t e m e n t e d a manifestação d a
p a r t e contrária, p a r a a f a s t a m e n t o d o s integrantes do C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o , c o m
supedâneo n o a r t . 2 4 7 d o Código d e P r o c e s s o C i v i l , in verbis:

"Art.

273 -

O Juiz

poderá, a

requerimento

d a parte,

p a r c i a l m e n t e , os efeitos d a tutela p r e t e n d i d a n o pedido

antecipar,

total o u

inicial, d e s d e q u e ,

e x i s t i n d o p r o v a inequívoca, se convença d a verossimilhança d a alegação, e:

T - h a j a f u n d a d o receio d e d a n o irreparável o u d e difícil reparação; o u

II - fique c a r a c t e r i z a d o o a b u s o de direito de defesa ou o m a n i f e s t o propósito
protelatôrio d o réu", (g.n.)

C o m efeito, verifica-se q u e a antecipação de
t u t e l a possui d o i s requisitos: ( 1 ) verossimilhança d a alegação, m e d i a n t e p r o v a
f n e q u l v o c a e (2) p e r i c u l u m in m o r a ; ou a b u s o de direito d e d e f e s a ou m a n i f e s t o

<*

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

propósito

protelatório.

O

primeiro

requisito

deve

estar

sempre

presente,

acompanhado, alternativamente, de u m d o s demais (2).

No c a s o
autos

são

suficientemente

robustas

e

p r e s e n t e , as p r o v a s t r a z i d a s aos
inequívocas

para

demonstrar

verossimilhança d a s alegações a p r e s e n t a d a s , n o s e n t i d o d e q u e o

a

Conselho

D e l i b e r a t i v o , n a p e s s o a d e s e u s C o n s e l h e i r o s , t e m c o m e t i d o g r a v e s e Inúmeras
i r r e g u l a r i d a d e s , c o m e v i d e n t e d e s v i o d e finalidade, a f r o n t a n d o d i r e t a m e n t e a s
previsões d o s e u Estatuto e a o r d e m legal v i g e n t e .

Diante de todo o exposto e do constante da
documentação

inclusa,

que desta

petição

faz p a r t e

integrante,

como

se

l i t e r a l m e n t e t r a n s c r i t a , propõe o M I N I S T É R I O P Ú B L I C O D O E S T A D O D E SÃO
P A U L O a p r e s e n t e ação civil pública, p a r a o f i m d e :

a) d e c r e t a r a nulidade d a r e f o r m a estatutária
d a fundação K a r n i g B a z a r i n r e a l i z a d a no d i a 27 d e abril d e 2 0 0 5 , e m e s p e c i a l
dos pontos mencionados;

b)

afastar

e m definitivo

os membros

do

C o n s e l h o D e l i b e r a t i v o d a Fundação K a r n i g B a z a r i a n .

c) p a g a r as c u s t a s p r o c e s s u a i s .

Ante

o

exposto,

requer-se

a

citação

da

Fundação K a r n i g B a z a r i a n , b e m c o m o d o s C o n s e l h e i r o s m e m b r o s d o C o n s e l h o
D e l i b e r a t i v o d a Fundação, p a r a , se q u i s e r e m e n o prazo legal, r e s p o n d a
p r e s e n t e ação, s o b p e n a de r e v e l i a e confissão.

a

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO

P r o t e s t a , c a s o necessário, pela produção de
todos os m e i o s d e p r o v a a d m i t i d o s e m Direito, s e m exceção de q u a l q u e r , e m
e s p e c i a l j u n t a d a s d e n o v o s d o c u m e n t o s , perícia e o u v i d a d e t e s t e m u n h a s .

Dá-se a c a u s a , p a r a fins m e r a m e n t e f i s c a i s , o
valor d e R $ 1 . 0 0 0 , 0 0 .

Nestes t e r m q s

t

p. d e f e r i m e n t o .

Itapetininga, 1

Jo*é R o b e r t o d e P a u l a B a r r e i r a
4" P r o m o t o r d e J u s t i ç a d e s i g n a d o


Related documents


pg 0001 ocr
revista viracao 111
cartilha sobre menores ii recomendacao alemanh
mp 726
fkb acao civil publica 20130419
termo de convenio asseer dph 09 03 2017

Link to this page


Permanent link

Use the permanent link to the download page to share your document on Facebook, Twitter, LinkedIn, or directly with a contact by e-Mail, Messenger, Whatsapp, Line..

Short link

Use the short link to share your document on Twitter or by text message (SMS)

HTML Code

Copy the following HTML code to share your document on a Website or Blog

QR Code

QR Code link to PDF file FKB - ACAO CIVIL PUBLICA - 20130419.pdf