PDF Archive

Easily share your PDF documents with your contacts, on the Web and Social Networks.

Share a file Manage my documents Convert Recover PDF Search Help Contact



Manual de Metereologia e Oceanografia 49 págs.pdf


Preview of PDF document manual-de-metereologia-e-oceanografia-49-p-gs.pdf

Page 1 2 34549

Text preview


A superfície da Terra aquecida, por meio de condução, aquece o ar em contato com a
superfície. Por meio de movimento vertical do ar, ou seja, convecção, essa energia é
transportada verticalmente para os níveis mais elevados e/ou por meio de movimento
horizontal do ar, ou seja, advecção, essa energia é transportada horizontalmente para
outras regiões. A circulação do ar úmido, ou seja, ar com elevada umidade relativa,
transporta considerável energia, sob a forma de calor latente do vapor d’agua, que será
liberada em outra região.
ALBEDO = Relação entre a quantidade de radiação solar refletida de volta para o espaço
e a recebida pela superfície. (refletida/recebida)
A luz solar , atravessando a atmosfera em seus mais diversos níveis de altitudes, sofrem
os efeitos da absorção e reflexão pelas nuvens e partículas em suspensão e da dispersão
solar pelo ar, em função de seus comprimentos de onda. Como o processo de dispersão é
mais efetivo para ondas de comprimento na faixa do azul, a luz em que mais ocorre a
dispersão é a azul, motivo porque o céu é de coloração azul.
Temperatura do ar e da superfície do mar: temp. é o indicador da quantidade de calor
presente no meio analisado. A temp. do ar varia verticalmente na atmosfera, diminuindo
com a altitude. A razão física para tal fato é que a pressão do ar varia, diminuindo á
medida que a altitude aumenta. A temp. do ar varia horizontalmente com a latitude,
conforme se desloca das baixas latitudes, próximo ao equador, para as latitudes medias e
para as altas latitudes, a temp. irá diminuindo, pela variabilidade da distribuição de
energia proveniente da radiação solar, acentuado pela variabilidade sazonal do ângulo de
incidência dos raios solares e pelo albedo das sup. cobertas de neve. Essa variação
horizontal de temp. com a latitude mantém um gradiente horizontal de temperatura, que
favorece a circulação geral da massa de ar frias e quentes e consequentemente os sistemas
de frentes frias e quentes. A cada 1000m de elevação, diminui 10° c.
Já a temp. da superfície do mar(tsm), durante o dia e a noite não apresenta variação de
valor, pois grande parte da energia recebida da radiação solar e em grande parte utilizada
na evaporação da água da superfície do mar. Há uma variação muito lenta e gradual da
temperatura do mar ao longo do ano. A tsm influencia de forma bastante significativa o
resfriamento do ar, no caso de tsm mais fria, podendo restultar na formação de nevoeiros
ou nevoa. Quando a tsm é mais quente, pode intensificar os processos convectivos e
temporais e até mesmo o desenvolvimentos de tormentas e furaçoes, quando a tsm é
superior a 27°c. Efetua-se a medida da temp. ar seco por meio de termômetro ou
termógrafo. A temp. ar úmido é obtida pelo psicômetro que nos indica a temp. do ar
resultante do acréscimo artificial de umidade até a saturação do ar ambiente. A temp. do
termômetro de bulbo úmido será sempre menor que a indicação do term. seco.
As temp. seca e úmida servem para determinação da temperatura do ponto de orvalho e
para obtenção da umidade relativa do ar. A temp. do ponto de orvalho é aquela em que o
vapor d’água existente no ar atmosférico começa a se condensar, ou seja, é a temperatura
do ar ambiente na qual o ar atinge sua saturação de umidade, simplesmente por