FATORES PSICOSSOCIAIS SULAMERICANOS.pdf


Preview of PDF document fatores-psicossociais-sulamericanos.pdf

Page 1 2 3 45627

Text preview


Sangue Branco

Sangue Índio

Sangue Negro

Mestizo (branco x índio)

50%

50%

-

2. Castizo (branco x mestizo)

75%

25%

-

3. Español (branco x castizo)

87,5%

12,5%

-

4. Mulato (branco x preto)

50%

-

50%

5. Morisco (branco x mulato)

75%

-

25%

6. Chino (branco x morisco)

87,5%

-

12,5%

7. Salta atrás (chino x índio)

43,75%

50%

6,25%

8. Lobo (salta atrás x mulato)

43,87%

25%

28,13%

9. Gibaro (lobo x chino)

61,19%

12,50%

20,31%

10. Albarazado (gibaro x mulato)

58,6%

6,25%

35,15%

11. Cambujo (albarazabo x preto)

29,30%

3,12%

67,58%

12. Sambaio (cambujo x índio)

14,65%

51,55%

33,80%

13. Calpamulato (sambaigo x lobo)

30,75%

38,25%

31%

14. Tente en el aire (calpamulato x camujo)

30%

20,7%

49,3%

15. No te entiendo (tente en el aire x mulato)

40%

10,35%

49,65%

16. Torna atrás (no te entiendo x índio)

20%

55,15%

24,85%

Denominação dos Pardos
1.

Além desses tipos étnicos, havia os zambos, resultantes das uniões entre pretos e índios, e outros tipos advindos
dos cruzamentos de zambos com outros elementos. Esses cruzamentos foram, porém, muito menos frequentes e numerosos,
do que aqueles, ocorridos com os tipos acima citados.
Nos brancos se distinguiam os “españoles”, “criollos” e “extranjeros”. Os “españoles” eram brancos nascidos
em Espanha, normalmente, donos das terras, dos talhos mineiros, do comércio e exerciam as principais funções públicas no
Governo Colonial. Os “criollos”, eram; os descendentes dos “españoles”, brancos como eles, mas nascidos na América,
excluídos, com poucas exceções, do exercício de funções públicas de relevo e do comércio. Os “extranjeros” eram brancos
europeus, notadamente, franceses e ingleses, cuja entrada na América fôra tolerada durante o século XVIII.
Os índios constituíam a maior parte da população. No Peru, na Bolívia, eram cerca de 75% da população. Os
índios semicivilizados trabalhavam na agricultura, pecuária e mineração e os insubmissos, ainda selvagens, viviam
confinados em locais de difícil acesso, na cordilheira andina, na floresta amazônica, no pampa, ou na patagônia. Viviam,
ainda, a época pré-colombiana e não raro assaltavam as populações das fazendas e das cidades menos protegidas.
Os negros eram em sua maioria escravos, mas os havia, também, em número reduzido, libertos. Trabalhavam
nas fazendas de áreas tropicais, ou no serviço doméstico em cidades como Bogotá, Buenos Aires, etc.
Dos tipos mistos, os mestiços tinham melhor condição social, ainda que em plano inferior ao do branco. Os
mulatos eram numerosos em cidades, como Caracas, Guaiaquil, Lima, Buenos Aires, onde exerciam ofícios manuais. Os
zambos, pouco numerosos, trabalhavam como assalariados nas fazendas ou nas cidades. Mulatos e zambos não podiam