PDF Archive

Easily share your PDF documents with your contacts, on the Web and Social Networks.

Share a file Manage my documents Convert Recover PDF Search Help Contact


Search


PDF Archive search engine
Last database update: 28 November at 06:44 - Around 90000 files indexed.

Show results per page

Results for «acompanhamento»:


Total: 90 results - 0.112 seconds

Anexo I Rol 2014 100%

Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO EM HOSPITAL-DIA PSIQUIÁTRICO (COM CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO INTEGRAL AO RECÉM-NASCIDO (SALA DE PARTO, BERÇÁRIO E UTI) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO MÉDICO DO INTENSIVISTA EM UTI GERAL OU PEDIÁTRICA ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO PEDIÁTRICO A GESTANTES (3º TRIMESTRE) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATIVIDADE EDUCACIONAL PARA PLANEJAMENTO FAMILIAR ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATIVIDADE EDUCATIVA EM SAÚDE BUCAL ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA DE ACONSELHAMENTO PARA PLANEJAMENTO FAMILIAR ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA COM FISIOTERAPEUTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA MÉDICA ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO E/OU TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA/SESSÃO COM FONOAUDIÓLOGO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA COM NUTRICIONISTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTA/SESSÃO COM TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES ACONSELHAMENTO GENÉTICO GRUPO - Rol 2014 OD AMB HCO HSO PAC DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS AMB HCO PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS OD PROCEDIMENTOS GERAIS OD DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS DUT DUT OD PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT TRANSPORTE EXTRA-HOSPITALAR DE PACIENTES GRAVES COM ACOMPANHAMENTO MÉDICO, DO ESTABELECIMENTO HOSPITALAR DE ORIGEM PARA OUTRO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO VISITA HOSPITALAR CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE DE CÓRNEA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE RENAL AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO DE TRANSPLANTE RENAL NO PERÍODO DE INTERNAÇÃO DO RECEPTOR E DO DOADOR AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS AVALIAÇÃO CLÍNICA DIARIA ENTERAL E/OU PARENTERAL AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS AVALIAÇÃO CLÍNICA E ELETRÔNICA DE PACIENTE PORTADOR DE MARCA-PASSO OU SINCRONIZADOR OU DESFIBRILADOR AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO PAC HCO HSO AMB HCO HSO 1 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CARDIOVERSÃO ELÉTRICA COM ELETROCARDIOGRAMA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS CONTROLE DE BIOFILME DENTAL (PLACA BACTERIANA) AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS COLETORES E ADJUVANTES PARA COLOSTOMIA, ILEOSTOMIA E UROSTOMIA, SONDA VESICAL DE DEMORA E COLETOR DE URINA (COM PROTOCOLO DE UTILIZAÇÃO - PROUT) AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS PROFILAXIA - POLIMENTO CORONÁRIO AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS TERAPIA ANTINEOPLÁSICA ORAL PARA TRATAMENTO DO CÂNCER (COM DIRETRIZ AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS DE UTILIZAÇÃO) CARDIOTOCOGRAFIA MONITORIZAÇÕES HOLTER DE 24 HORAS - 2 OU MAIS CANAIS - ANALÓGICO OU DIGITAL MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO AMBULATORIAL DA PRESSÃO ARTERIAL - MAPA (24 HORAS) COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA INVASIVA OU NÃO INVASIVA MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO NEUROFISIOLÓGICA INTRA-OPERATÓRIA MONITORIZAÇÕES POTENCIAL EVOCADO INTRA-OPERATÓRIO - MONITORIZAÇÃO CIRÚRGICA (PE/IO) MONITORIZAÇÕES TESTE DE INCLINAÇÃO ORTOSTÁTICA (TILT TEST) - COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO MONITORIZAÇÕES ADAPTAÇÃO E TREINAMENTO DE RECURSOS ÓPTICOS REABILITAÇÃO AMPUTAÇÃO (PREPARAÇÃO DO COTO E TREINAMENTO PROTÉTICO) REABILITAÇÃO BIOFEEDBACK COM EMG REABILITAÇÃO EXERCÍCIOS DE ORTÓPTICA REABILITAÇÃO INFILTRAÇÃO DE PONTO GATILHO OU AGULHAMENTO SECO REABILITAÇÃO REABILITACAO E REEDUCACAO DE SEQÜELAS EM TRAUMATISMOS E POLITRAUMATIZADOS REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO LABIRÍNTICA REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO PERINEAL/VESICO-URETRAL COM OU SEM BIOFEEDBACK REABILITAÇÃO REEDUACAÇÃO E REABILITAÇÃO DE QUEIMADOS PARA PREVENÇÃO DE SEQUELAS REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DO SISTEMA LINFÁTICO E/OU VASCULAR PERIFÉRICO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DO SISTEMA MÚSCULO-ESQUELÉTICO POR DISTÚRBIOS CONGÊNITOS OU REUMÁTICOS REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO OD PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES AMB HCO HSO OD AMB PAC DUT AMB HCO HSO AMB AMB DUT HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO PAC DUT AMB AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO 2 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NEUROLÓGICA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NO RETARDO DO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO RESPIRATÓRIA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO TRAUMATO-ORTOPÉDICA (EXCLUI TÉCNICAS CINESIOTERÁPICAS ESPECÍFICAS) REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E/OU REABILITAÇÃO DE DISTÚRBIOS CRÂNIO-FACIAIS REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E/OU REABILITAÇÃO NOS PROCESSOS INFLAMATÓRIOS PÉLVICOS REABILITAÇÃO ACTINOTERAPIA TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE CARIOSTÁTICO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE HIPOSSENSIBILIZANTE TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE SELANTE (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA APLICAÇÃO TÓPICA DE FLÚOR TERAPÊUTICA BETATERAPIA TERAPÊUTICA CARDIOVERSÃO QUÍMICA DE ARRITMIA PAROXÍSTA TERAPÊUTICA CATETERISMO VESICAL TERAPÊUTICA CERUMEN - REMOÇÃO TERAPÊUTICA CRIOTERAPIA TERAPÊUTICA CURATIVOS EM GERAL COM OU SEM ANESTESIA TERAPÊUTICA DILATAÇÃO URETRAL TERAPÊUTICA DESSENSIBILIZAÇÃO DENTÁRIA TERAPÊUTICA ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA TRANSCUTÂNEA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA FOTOTERAPIA COM UVA (PUVA) PARA TRATAMENTO DE PSORÍASE OU VITILIGO TERAPÊUTICA INSTILAÇÃO VESICAL OU URETRAL TERAPÊUTICA LESÕES MÚSCULO TENDINOSAS - TRATAMENTO INCRUENTO TERAPÊUTICA PLANEJAMENTO TÉCNICO DA IMUNOTERAPIA ALÉRGENO INESPECÍFICA TERAPÊUTICA GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO OD DUT AMB HCO HSO OD DUT OD AMB HCO HSO PAC AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO OD AMB HCO HSO AMB DUT PAC AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO 3 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 PLANEJAMENTO TÉCNICO DA IMUNOTERAPIA ALÉRGENO-ESPECÍFICA TERAPÊUTICA PRIAPISMO - TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO TERAPÊUTICA PULSOTERAPIA TERAPÊUTICA OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA REDUÇÃO DE LUXAÇÃO DA ATM (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA REMINERALIZAÇÃO DENTÁRIA TERAPÊUTICA SESSÃO DE ACUPUNTURA TERAPÊUTICA SESSÃO DE PSICOTERAPIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA IMUNOBIOLÓGICA ENDOVENOSA PARA TRATAMENTO DE ARTRITE PSORIÁSICA, DOENÇA DE CROHN E ESPONDILITE ANQUILOSANTE (COM DIRETRIZ TERAPÊUTICA DE UTILIZAÇÃO) TERAPIA IMUNOBIOLÓGICA ENDOVENOSA OU SUBCUTÂNEA PARA TRATAMENTO DE ARTRITE REUMATÓIDE (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA INALATÓRIA (NEBULIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA - PLANEJAMENTO TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA COM APLICAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA INTRACAVITÁRIA OU INTRATECAL TERAPIA ONCOLÓGICA COM APLICAÇÃO INTRA-ARTERIAL OU INTRAVENOSA DE MEDICAMENTOS TERAPÊUTICA TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA MEDICAMENTOSA PEROPERATÓRIA TERAPÊUTICA APÊNDICE PRÉ-AURICULAR - RESSECÇÃO PROCEDIMENTOS AUTONOMIZAÇÃO DE RETALHO PROCEDIMENTOS BIÓPSIA DE FACE PROCEDIMENTOS BIÓPSIA DE PELE, TUMORES SUPERFICIAIS, TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, LINFONODO SUPERFICIAL, UNHA, ETC PROCEDIMENTOS CALOSIDADE E/OU MAL PERFURANTE - DESBASTAMENTO PROCEDIMENTOS CANTOPLASTIA UNGUEAL PROCEDIMENTOS CAUTERIZAÇÃO QUÍMICA PROCEDIMENTOS CIRURGIA DA HIDROSADENITE PROCEDIMENTOS CORREÇÃO CIRÚRGICA DE SEQUELAS DE ALOPECIA TRAUMÁTICA COM MICROENXERTOS PILOSOS PROCEDIMENTOS GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO PAC DUT OD AMB HCO HSO DUT OD AMB AMB DUT AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO PAC HCO HSO PAC AMB HCO HSO PAC HCO HSO PAC AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO 4 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CORREÇÃO DE DEFORMIDADES POR EXÉRESE DE TUMORES OU SEQÜELAS DE TRAUMATISMOS COM O EMPREGO DE EXPANSORES EM RETALHOS CUTÂNEOS, MUSCULARES E/OU MIOCUTÂNEOS PROCEDIMENTOS CRIOCIRURGIA (NITROGÊNIO LÍQUIDO) DE NEOPLASIAS CUTÂNEAS PROCEDIMENTOS CURATIVO DE QUEIMADURAS PROCEDIMENTOS CURATIVO ESPECIAL SOB ANESTESIA PROCEDIMENTOS CURETAGEM, ELETROCOAGULAÇÃO E/OU DERMOABRASÃO DE LESÕES DE PELE E PROCEDIMENTOS MUCOSAS DERMOLIPECTOMIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) PROCEDIMENTOS DESBRIDAMENTO CIRÚRGICO PROCEDIMENTOS DESBRIDAMENTO DE FERIMENTOS INFECTADOS E MORDIDAS DE ANIMAIS PROCEDIMENTOS ENXERTO DE CARTILAGEM, MUCOSA E/OU COMPOSTO PROCEDIMENTOS ENXERTO DE PELE MÚLTIPLO PROCEDIMENTOS ENXERTO OU HOMOENXERTO DE PELE PROCEDIMENTOS ESCALPO - TRATAMENTO CIRÚRGICO PROCEDIMENTOS ESCAROTOMIA DESCOMPRESSIVA PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE HIGROMA CÍSTICO PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE LESÃO COM AUTO-ENXERTIA PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE LESÃO DE PELE E MUCOSAS PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE TUMOR DE PARTES MOLES PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE UNHA PROCEDIMENTOS EXÉRESE E SUTURA DE LESÕES COM OU SEM ROTAÇÃO DE RETALHOS PROCEDIMENTOS EXPANSÃO TISSULAR PROCEDIMENTOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXCISÃO E RETALHOS CUTÂNEOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E EMPREGO DE RETALHOS CUTÂNEOS OU MUSCULARES CRUZADOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E RETALHOS CUTÂNEOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E ROTAÇÃO DE RETALHO FASCIOCUTÂNEO OU AXIAL EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E ROTAÇÃO DE RETALHOS MIOCUTÂNEOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS GRUPO - Rol 2014 PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS OD AMB HCO HSO PAC DUT HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO 5

https://www.pdf-archive.com/2014/01/07/anexo-i-rol-2014/

07/01/2014 www.pdf-archive.com

fundeb 86%

A plenária contou com a presença de dezenas de profissionais de educação, deliberando sobre a criação do Fórum Permanente de Acompanhamento do FUNDEB e do Orçamento da Educação.

https://www.pdf-archive.com/2014/03/27/fundeb/

27/03/2014 www.pdf-archive.com

FORM001-v1 84%

METODOLOGIAS DE ACOMPANHAMENTO DA FORMAÇÃO O coordenador da formação fará o acompanhamento da acção com base em 2 visitas ao grupo:

https://www.pdf-archive.com/2014/01/29/form001-v1/

29/01/2014 www.pdf-archive.com

RIC 2374 2012 resposta 82%

"3) Caso a resposta à primeira pergunta seja positiva, há missões previstas para acompanhamento de projetos ainda não concluídos definitivamente junto a outras Marinhas, como por exemplo a alemã, a espanhola, a francesa, a italiana e a holandesa?"

https://www.pdf-archive.com/2012/09/17/ric-2374-2012-resposta/

17/09/2012 www.pdf-archive.com

Validação 78%

É de inteira responsabilidade do aluno o acompanhamento do processo, não havendo necessidade de convocação, ou nenhum outro tipo de aviso, seja por carta, e-mail ou telefonema por parte da DAC, e para consulta e ciência do processo, o aluno deverá apresentar este protocolo.

https://www.pdf-archive.com/2014/03/26/validac-o/

26/03/2014 www.pdf-archive.com

currículo - mariana bandeira 76%

  Rua Comendador Fontana, 78 Centro Cívico ­ 80030­070 Curitiba ­ Paraná                  ​ (41) 9507.4654             ​ mariana.bndr@gmail.com  Mariana Augusto Bandeira    Formação​ :    Bacharel em Direito. Universidade de Fortaleza, conclusão em 2014.    Cursando  Pós­Graduação  em  Direito  Tributário  Empresarial  e  Processual  Tributário   PUC­PR, 2016 ­ 2017.    Experiência profissional​ :    2011  ­  Rodolfo  Costa  Advogados  Associados​ : Estágio extracurricular  realizado no  segundo semestre de 2011 em escritório especializado em Direito Internacional.    Principais atividades: Elaboração de petições, acompanhamento processual.    2012  ­  2014  ­  Defensoria  Pública  do  Estado  do  Ceará​ :  Estágio  extracurricular  realizado  pelo período de 18 meses em órgão público, ingresso mediante concurso. Área  de trabalho: Cível, com foco em Direito do Consumidor e Infância e Juventude.    Principais  atividades:  Elaboração  de  petições,  acompanhamento  processual,  atendimento ao público.    Qualificações e atividades complementares​ :    Inglês ­ Fluente (Cultura Inglesa, 7 anos, conclusão em 2007) .    Espanhol ­ Avançado (Escuela Oficial de Idiomas de Salamanca, 2012).    Experiência  no  exterior  ­  Residiu  na  Espanha  durante  o  período  de  6  meses,  tendo  realizado,  concomitantemente,  intercâmbio  acadêmico  na  Universidade  de Salamanca e  curso de línguas (2012).    Participação em encontros de Iniciação à Pesquisa da Universidade de Fortaleza.    Curso: Processo Civil Completo – Prof. Misael Montenegro – FESAC/OAB (2010)    Outras informações:    Trabalho de final de curso com a temática de "Adoção Internacional". 

https://www.pdf-archive.com/2016/03/23/curr-culo-mariana-bandeira-1/

23/03/2016 www.pdf-archive.com

Currículo Paulo Pimenta 76%

Paulo César Pimenta Engenheiro Civil - 23 anos Rua Bruno Filgueira, 2211 - Curitiba, PR (45) 99994-2299 | pc.pimenta@hotmail.com FORMAÇÃO ACADÊMICA Bacharelado, Engenharia Civil | 2011 - 2016 Universidade Tecnológica Federal do Paraná - Toledo, Paraná EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL Intercâmbio, Engenharia Civil, School of Engineering | 9 meses University of Kentucky - Lexington, Kentucky, Estados Unidos Pesquisa, Engenharia Civil, Armour School of Engineering | 3 meses Illinois Institute of Technology - Chicago, Illinois, Estados Unidos EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Construtora Bettega | 08/2016 - 12/2016 Estagiário  Acompanhamento de execução de obras residenciais com PBQP-H  Atendimento a clientes, vistoria e acompanhamento de reparos pós-obra em edificações residenciais  Elaboração e controle de cronograma físico-financeiro de projetos SL Construtora | 01/2012 - 02/2012 Estagiário  Elaboração de projetos arquitetônicos e complementares (hidrossanitário e elétrico) IDIOMAS Inglês, fluente  TOEFL ITP, 617 pontos  1 ano de residência nos EUA | 2015-2016 Alemão, básico  Curso na University of Kentucky | 2015-2016 QUALIFICAÇÕES Microsoft Office, incluindo Word, Excel e PowerPoint | Autodesk AutoCAD, projetos em 2D | Autodesk Revit, projetos em plataforma BIM | AltoQi Hydros, projetos hidrossanitários | AltoQi Eberick, projetos estruturais | Microsoft Project, elaboração de planejamento e cronogramas de projetos | INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES  Carteira de habilitação, categoria AB  Disponibilidade para viagens ATIVIDADES COMPLEMENTARES Trabalho de Conclusão de Curso, Elaboração e controle de cronograma de execução de uma residência

https://www.pdf-archive.com/2017/01/19/curr-culo-paulo-pimenta/

19/01/2017 www.pdf-archive.com

RIC 2374 2012 76%

Câmara dos Deputados I Anexo IV- 6° andar - Gabinete 634 I 70160-900 Brasília DF Tel (61) 3215-5634 /3634 - Fax (61) 3215-2634 I dep.ricardoizar@camara.gov.br \' CÂMARA DOS DEPUTADOS , Gabinete do Deputado Federal Ricardo Izar Embora tenhamos recebido as informações pertinentes aos quesitos solicitados referentes aos navios NPaOc, os chamados patrulheiros OPV, e tenha exsudado na imprensa a informação de que uma missão da Marinha do Brasil estaria sendo enviada ao Reino Unido para o acompanhamento de tal operaçãoe, em particular, pela informação, na resposta ao supracitado RIC, de que seriam as especificações estatuídas pelo PAEMB para esse tipo de embarcação que levariam a adaptação do produto britânico às necessidades nacionais, pois, como dizia a resposta do Ministério da Defesa "seria o 'design' e os sistemas dos navios-patrulha a serem construídos no Brasil pelo PROSUPER é que pautar(iam) as modificações nos OPV-90M (Offshore Patrol Vessels de 90 metros)", que haviam sido previamente rejeitado por Bahrein, Malásia e Trinidad Tobago, vemos com preocupação aparecem agora notícias veiculadas por fontes britânicas de que, em adição às tarefas compatíveis com o recebimento e adaptação dos navios em fase de aquisição, a delegação da Marinha do Brasil teria também a missão de acompanhar por seis meses as fases de desenvolvimento do projeto das fragatas britânicas classe T-26, projeto esse que sofreu grande retardo com a drástica decisão do Governo britânico de reduzir à metade, em 2011, o orçamento de investimentos da sua Marinha.

https://www.pdf-archive.com/2012/09/17/ric-2374-2012/

17/09/2012 www.pdf-archive.com

moodlearticle 72%

Ainda segundo o Censo EAD.br (2012/2013) um dos pontos fortes apontados pelos educandos nas avaliações dos cursos foi o acompanhamento realizado pela tutoria.

https://www.pdf-archive.com/2015/01/19/moodlearticle/

19/01/2015 www.pdf-archive.com

Currículo MarianaPavao 72%

Acompanhamento de indicadores de desempenho das campanhas;

https://www.pdf-archive.com/2014/01/08/curr-culo-marianapavao/

08/01/2014 www.pdf-archive.com

Regulamento Campanha 71%

A Campanha “BRINCADEIRA DE NATAL” rege-se pelo presente regulamento, sendo a Comissão de Acompanhamento (Artigo 9º) e o CEPCO/Caixa Econômica Federal, soberanos na sua interpretação, aplicação e resolução de lacunas.

https://www.pdf-archive.com/2013/11/14/regulamento-campanha/

14/11/2013 www.pdf-archive.com

diario 69%

PERCIVAL SANTOS MUNIZ Prefeito Municipal FABRÍCIO MIGUEL CORREA Secretário Municipal de Governo Registrada na Coordenadoria de Acompanhamento Jurídico Legislativo e Publicada no DIORONDON.

https://www.pdf-archive.com/2017/03/11/diario/

11/03/2017 www.pdf-archive.com

Regulamento Interno AEA Maio2009 69%

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE MAIO DE 2009 1 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE 2 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade INDÍCE Página INDICE 3 PREÂMBULO 6 CAPÍTULO I – DISPOSIÇÕES GERAIS 7 INTRODUÇÃO 8 Artº 1- OBJECTO e ÂMBITO de APLICAÇÃO 9 Artº 2 – CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 9 Artº3 – AUTONOMIA e INSTRUMENTOS DE AUTONOMIA 9 Artº 4 - PRINCÍPIOS ORIENTADORES DA ADMINISTRACÇÃO E GESTÃO DO AGRUPAMENTO 9 Artº 5 – CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO 10 Artº 5.1 – CONSTITUIÇÃO do AGRUPAMENTO 10 Artº 5.2- OFERTA EDUCATIVA 11 Artº 6 - REGIME DE FUNCIONAMENTO 11 CAPÍTULO II - ORGÃOS de ADMINSTRAÇÃO E GESTÃO ORGANOGRAMA – AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE SECÇÃO I - CONSELHO GERAL 13 14 15 Artº 7 - CONSELHO GERAL - DEFINIÇÃO 15 Artº 8 - COMPOSIÇÃO 15 Artº 9 – COMPETÊNCIAS 15 Artº 10 – FUNCIONAMENTO 16 Artº 11 – DESIGNAÇÃO DOS REPRESENTANTES 17 Artº 12- ELEIÇÕES - NORMAS do PROCESSO ELEITORAL (pessoal docente e não docente) 17 Artº 13 – MANDATOS 18 SECÇÃO II - DIRECTOR 19 Artº 14 – DIRECTOR - DEFINIÇÃO 19 Artº 15 - COMPETÊNCIAS DO DIRECTOR 19 Artº 16 – RECRUTAMENTO e ELEIÇÃO 20 Artº 17 - POSSE 20 Artº 18 - MANDATO 20 Artº 19 – SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 20 Artº 20 – MANDATO DO SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 21 Artº 21 – COMPETÊNCIAS DO SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 21 Artº 22 - ASSESSORIAS TÉCNICO-PEDAGÓGICAS À DIRECÇÃO EXECUTIVA 21 SECÇÃO III - CONSELHO PEDAGÓGICO 23 Artº 23 – CONSELHO PEDAGÓGICO - DEFINIÇÃO 23 Artº 24 - COMPOSIÇÃO 23 Artº 25 - COMPETÊNCIAS 24 Artº 26 - MANDATOS 25 Artº 27 – FUNCIONAMENTO 25 SECÇÃO IV - CONSELHO ADMINISTRATIVO 26 Artº 28 – CONSELHO ADMINISTRATIVO - DEFINIÇÃO 26 Artº 29 - COMPOSIÇÃO 26 3 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade Artº 30 - COMPETÊNCIAS 26 Artº 31 - FUNCIONAMENTO 26 Artº 32 - MANDATOS 26 CAPÍTULO III - COORDENAÇÃO DE ESCOLA 27 Artº 33 – COORDENAÇÃO DE ESCOLA 28 Artº 34 - COMPETÊNCIAS 28 Artº 35 - MANDATO 29 CAPÍTULO IV - ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATIVA E SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ENSINO ESPECIAL SECÇÃO I - ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATIVA 30 31 Artº 36 – ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATICA E FINALIDADES 31 Artº 37 - ARTICULAÇÃO e GESTÃO CURRICULAR 31 Artº 37.1 - NOMEAÇÃO E MANDATOS DOS COORDENADORES DAS ESTRUTURAS 31 Artº 37.2- COMPETÊNCIAS DO CONSELHO DE DOCENTES E DEPARTAMENTOS CURRICULARES 32 Artº 37.3 – COMPETÊNCIAS DOS COORDENADORES DO CONSELHO DE DOCENTES E DEPARTAMENTOS CURRICULARES 32 Artº 38 – COORDENADOR DE DISCIPLINA (2º e 3º ciclos) 33 Artº 39 - ORGANIZAÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE ACTIVIDADES A DESENVOLVER EM CONTEXTO DE SALA OU TURMA 33 Artº 39.1- COMPETÊNCIAS DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA 34 Artº 39.2 – COMPETÊNCIAS DOS PROFESSORES TITULARES DE TURMA / CONSELHO DE TURMA 34 Artº 39.3 – COMPETÊNCIAS, NOMEAÇÃO E MANDATO DO DIRECTOR DE TURMA 35 Artº 40 – COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DE ANO E CICLO Artº 40.1 – FUNCIONAMENTO E COMPETÊNCIAS DOS CONSELHOS DE DOCENTES TITULARES DE TURMA 37 37 Artº 40.2 – COMPETÊNCIAS DO COORDENADOR DOS DIRECTORES DE TURMA Artº 43 - COORDENAÇÃO E COMPETÊNCIAS DO COORDENADOR DO CONSELHO DE DOCENTES TITULARES DE TURMA – COORDENADORES DE ANO E DE DOCENTES (1º ciclo) E CONSELHOS DE DIRECTORES DE TURMA 37 Artº 44 - CONSELHO DE ESCOLA 39 SECÇÃO II - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E SPO Artº 45 – DEFINIÇÃO E FINALIDADES SECÇÃO III - OUTROS SERVIÇOS DE APOIO ESCOLAR 38 40 40 41 Artº 46 - DEFINIÇÃO / COMPOSIÇÃO 41 Artº 47 - PLANO TECNOLOGICO DA EDUCAÇÃO (PTE) 41 Artº 48 - CENTROS DE RECURSOS EDUCATIVOS (CRE) / BIBLIOTECA 43 Artº 49 - GABINETE DE APOIO AO ALUNO (GAA) 49 SECÇÃO IV - AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 50 Artº 50 - ORGANIZAÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DAS ACTIVIDADES DE TURMA 50 Artº 51 – TIPOS DE AVALIAÇÃO E INTERVENIENTES 50 Artº 52 - PROCESSO/DOSSIER INDIVIDUAL DO ALUNO (PIA / DIA) 54 Artº 53 - CRITÉRIOS DE RETENÇÃO 55 CAPÍTULO V - PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE EDUCATIVA SECÇÃO I - ALUNOS 57 58 Artº 54 - DIREITOS DOS ALUNOS 58 Artº 55 - DEVERES DOS ALUNOS 58 Artº 56 - ASSIDUIDADE 59 Artº 57 – DISCIPLINA 60 4 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade Artº 58 – COMPETÊNCIAS PARA APLICAÇÃO DAS MEDIDAS DISCIPLINARES 60 Artº 59 – ACTIVIDADES DE OCUPAÇÃO DOS ALUNOS 60 Artº 60 – ACTIVIDADES DE INTEGRAÇÃO NA ESCOLA 61 Artº 61 – REALIZAÇÃO DE REUNIÕES DE TURMA 61 Artº 62 – RECONHECIMENTO À VALORIZAÇÃO E AO MÉRITO (2º e 3º ciclos) 63 SECÇÃO II - PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 63 – DIREITOS DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 64 – DEVERES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 65 - REPRESENTAÇÃO, INTERVENÇÃO E PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 65 SECÇÃO III -PESSOAL DOCENTE Artº 66 – DIREIROS E DEVERES DO PESSOAL DOCENTE SECÇÃO IV - PESSOAL NÃO DOCENTE DIREITOS E DEVERES DO PESSOAL NÃO DOCENTE Artº 67 – DIREITOS E DEVERES DO PESSOAL NÃO DOCENTE SECÇÃO V - AUTARQUIA Artº 68 – AUTARQUIA SECÇÃO VI - REPRESENTANTES DA COMUNIDADE LOCAL Artº 69 – REPRESENTANTES DA COMUNIDADE LOCAL CAPÍTULO VI - OUTRAS ESTRUTURAS E SERVIÇOS E RESPECTIVO FUNCIONAMENTO Artº 70 – OUTRAS ESTRUTURAS E SERVIÇOS E RESPECTIVO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO VII - DISPOSIÇÕES COMUNS Artº 71 – DISPOSIÇÕES COMUNS CAPÍTULO VIII - DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS 67 67 68 68 69 69 70 70 71 72 73 74 77 SECÇÃO I - JARDINS DE INFÂNCIA 78 SECÇÃO II - ESCOLAS DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 80 CAPÍTULO IX - DISPOSIÇÕES FINAIS 82 NOTA FINAL 84 ANEXO I – LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA 85 5

https://www.pdf-archive.com/2012/03/13/regulamento-interno-aea-maio2009/

13/03/2012 www.pdf-archive.com

MP 726 68%

h) realização de estudos e pesquisas para acompanhamento da conjuntura econômica;

https://www.pdf-archive.com/2016/05/13/mp-726/

13/05/2016 www.pdf-archive.com

revista-human-hilti 64%

Temos diversas ferramentas para assegurar que o acompanhamento dessas mesmas pessoas é efetuado adequadamente.

https://www.pdf-archive.com/2018/04/24/revista-human-hilti/

24/04/2018 www.pdf-archive.com

WiFi-SIGMA - Funções e Aplicações 64%

WIFI­SIGMA      Monitoramento de ambientes industriais, comerciais e residenciais via WiFi      Introdução         No  Brasil  mais  de  95%  das empresas  tem desperdício  e descontrole no consumo  de energia  elétrica,  água,  gás,  etc.  Todo este desperdício é gerando pela cultura do  descontrole  e  do  não  monitoramento.  Infelizmente,  é  comum  nas  empresas  o  esquecimento  de  equipamentos  ligados,  indevidamente  durante  a  madrugada  ou  durante  horas  que  jamais  serão  utilizados.  É  comum   o  vazamento  de  água  em  torneiras  e  canos,  o  vazamento de ar­comprimido , de óleo e até o alto consumo em  equipamentos   de  refrigeração  (freezers  ,  câmaras  frias,  etc  )  devido  o  total  descontrole.  Pensando  nisto  a Rede  Industrial  acaba de  desenvolver sua placa de  monitoramento  de   ambientes  industriais,  comerciais  e  residenciais.  A  placa  WIFI­SIGMA.    A placa WIFI­SIGMA é dotada de  30 entradas para sinais digitais e analógicos    SUMÁRIO     1 ­ Aplicações  2 ­ Detalhamento das portas de entrada  3 ­ Especificações Técnicas  4 ­ Imagens , layout de funcionamento, diagramas em bloco  5 ­ Modelos dos sensores e esquemas de ligação  6 ­ Termo de garantia e dimensões      1 ­ APLICAÇÕES      A  ​ ​ placa de monitoramento  de  sinais  analógicos e digitais  WIFI­SIGMA,  possui  mais  de  ​ 30  (trinta)  ​ entradas  independentes  para  coleta  de  sinais  analógicos   e  digitais  com  transmissão  de  dados  via  WiFi.  Essas  características  fazem  com  que  a  placa  WIFI­SIGMA  tenha  grande  utilidade  e  vasta  aplicação   na  leitura e  monitoramento  de  sinais analógicos  e digitais  em quaisquer equipamentos  ou  sensores  que  gerem  sinal  analógicos  ou  digitais,  em  qualquer  empresa  e  de  qualquer  segmento.  A  placa  WIFI­SIGMA  é  dotada  de  circuitos  eletrônicos,  de  ultima  geração,  microcontrolados,  capazes  de  receber  a  informação  e  transmiti­la,  via  WiFi  ,  de  forma  a  registrar  diretamente  em  qualquer  banco  de  dados  as  informações  colhidas.  Ou  seja,  seus  processadores  internos  não  exigem  qualquer  tipo  de  software  externo  para  coleta  dos  dados  de  suas  entradas  analógicas  ou  digitais,  podendo  ser  integrada  a  qualquer  software  ERP  ou  de  gestão,  sem  a  necessidade de aplicativos para integração de ou coletas de dados.             A Placa WIFI­SIGMA pode ser aplicada da seguinte forma :    ● Monitoramento  do   funcionamento  e  tempos  de  funcionamento  de  qualquer  dispositivo elétrico com tensão de 110VAC ou 220VAC.  ● Leitura de Medidores de temperatura e umidade;  ● Leitura de Sensores de fim de curso;  ● Leitura de Sensores ópticos;  ● Leitura de Tacômetros;  ● Leitura de Contadores de peças;  ● Leitura de Sensores de efeito hall;  ● Monitoramento de consumo de água;  ● Monitoramento de velocidade de motores, etc;  ● Leitura de Medidores de vibração;  ● Leitura de Sensores de luminosidade;  ● Leitura de Sensores de corrente;  ● Monitoramento de Barômetros;  ● Leitura de Acelerômetros;  ● Leitura de Giroscópios;  ● Leitura de Sensores de pressão;  ● Medidores de consumo de energia;  ● Leitura de Decibelímetros;  ● Leitura de Detectores de gás GLP;  ● Leitura de Sensores magnéticos;  ● Leitura de Sensores indutivos;  ● Leitura de Sensores capacitivos.                        Aplicações do WIFI­SIGMA  em farmácias e hospitais              ​  As condições de estocagem, distribuição e transporte desempenham papel fundamental para a  manutenção dos padrões de qualidade dos medicamentos, por isso o controle de temperatura em  freezers e refrigeradores para armazenamento destes e outros produtos afins é frequente em hospitais  e laboratórios.          Estes produtos precisam de controle constante de temperatura para comprovação da conservação  dos mesmos. ​ Devido a  estrutura de muitos hospitais, com várias as farmácias e  estoque distribuído  fica geograficamente difícil o controle e o monitoramento manual do transporte e armazenamento  destes de forma a evitar perdas e graves problemas com medicamentos estragados por excesso ou  falta de umidade e temperatura no transporte e nos freezers  distribuídos entre as unidades. Devido a  esta realidade a aplicação de um sistema de monitoramento e registro de temperatura que possa  centralizar todas as informações em um único local para acompanhamento , monitoramento e  registro  de forma a informar imediatamente aos responsáveis qualquer problema, é vital e essencial . Além da  necessidade de monitoramento centralizado, outros fatores levam qualquer Hospital a adotar uma  solução de monitoramento. São elas :     ­ Controle eficaz do monitoramento da temperatura de refrigeradores e freezers;   ­ Evitar perda de medicação e custos financeiros;   ­ Atender ao cliente final ou ao usuário do hospital com qualidade, segurança do paciente;   ­ Assegurar que as medições estejam dentro dos padrões necessários.                A primeira etapa do processo de monitoramento visa o monitoramento das  farmácias, do  estoque central e dos freezers, de forma wifi garantindo assim o acompanhamento minuto a minuto  durante 24 horas , nos 365 dias do ano a fim de garantir a padronização da umidade , temperatura e  energização de todos os equipamentos elétricos e eletrônicos que armazenam remédios, sangues,  próteses , instrumentos cirúrgicos.               Após o processo de implantação e treinamento das pessoas responsáveis pelo processo, o  sistema WIFI­SIGMA permite  detectar anomalias no funcionamento dos equipamentos monitorados,  bem como permitiu evitar perdas com falta de energia.              Dentre as principais funcionalidades utilizadas pelos usuários, destaca­se :                      1) A visualização de status em tempo real de temperatura dos refrigeradores e freezers;                   2) A visualização do gráfico de temperatura ao longo do período monitorado;                  3) Visualização de alertas.            ​ 2 ­ DETALHAMENTO DAS PORTAS DE ENTRADAS     ● 16 Entradas (NA):  ○ Com  16  entradas  disponíveis,  essa  função  permite  que  o  cliente  monitore  até  16  dispositivos (ligado ou desligado), através de sinais da  alimentação  desse  dispositivo,  que  podem  ser  tanto  de  110V​ RMS  quanto  de 220V​ RMS. ​ Com isso, pode­se obter informações sobre tempo  de trabalho de  máquina,  tendo disponíveis relatórios e diagnósticos de  parada.    ● 9 Entradas digitais:  ○ Com  essa  função,  o  cliente  consegue  conectar  ao  sistema  até  9  sensores  que  forneçam  dados  digitais.  Aqui  pode­se  citar  diversas  aplicações,  como  medidores  de  temperatura  e  umidade; sensores de  fim  de  curso;  sensores  ópticos,  com  aplicações  em  tacômetros  e  contadores de peças; sensores de efeito hall, que podem ser aplicados  em  monitoramento  de  consumo  de  água,   monitoramento  de  velocidade de motores, etc.    ● 1 Porta para I²C:  ○ O  protocolo  I²C  se  resume  em  uma  comunicação  mestre­escravo,  onde um mestre pode controlar até 127  escravos. O WIFI­SIGMA pode  atuar  como  mestre  numa   comunicação  I²C,  se  comunicando  com  diversos  dispositivos.  Com   esse  protocolo,  é  possível  monitorar  diversos  tipos  de  sensores  que  já  possuem  compatibilidade  com  I²C,  como: medidores  de  vibração,  sensores de luminosidade, sensores de  corrente, barômetros, acelerômetros, giroscópios, etc.      ● 6 Entradas para sinal analógico:  ○ Com as 6 entradas analógicas disponíveis no projeto, pode­se receber  dados de  sensores  com padrão  de  4  a  20mA,  0  a  5V ou  0  a  10V. Por  hardware,  o  cliente  consegue  configurar  o  padrão  dessas  entradas   conforme  o  sensor.  Aqui  também  são  diversas  aplicações,  como  sensores  de  pressão,  medidores  de  consumo   de  energia,  decibelímetros,  detectores  de  gás  GLP,  e  demais  aplicações  envolvendo sensores magnéticos, indutivos, etc.    3 ­ ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS    Características elétricas:  ● Tensão de alimentação: entre 5 e 12Vdc.  ● Corrente de alimentação: 500mA.  ● Temperatura de operação: ­40ºC a +85ºC.    Especificações da comunicação sem fio (WiFi):  ● Protocolos WiFi compatíveis: 802.11 b/g/n: 

https://www.pdf-archive.com/2016/03/15/wifi-sigma-func-es-e-aplicac-es/

15/03/2016 www.pdf-archive.com

Especialistas 63%

5602013 Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro Despacho n.º 4109/2013 1 – Ao abrigo do disposto na alínea c) do n.º 1 do artigo 3.º, nos nºs 1, 2, 3 do artigo 11.º e do artigo 12.º do Decreto-Lei n.º11/2012 de 20 de janeiro, aplicáveis ex vi artigo 4º do Decreto-Lei n.º 177/2012, de 3 de agosto, designo como técnico especialista o licenciado Tiago Miguel Moreira Ramalho para exercer as funções de acompanhamento da execução de medidas do memorando conjunto com a União Europeia, Fundo Monetário Internacional e Banco Central Europeu, na ESAME.

https://www.pdf-archive.com/2013/04/04/especialistas/

04/04/2013 www.pdf-archive.com

Carreiras em Evidência-13 10 2015 60%

Acompanhamento da concorrência e de tendências de mercado FORMAÇÃO NECESSÁRIA • Graduação em Marketing.

https://www.pdf-archive.com/2015/10/14/carreiras-em-evidencia-13-10-2015/

14/10/2015 www.pdf-archive.com

Franchising Yonest 60%

 O  Iogurte  Grego  à  Moda  AnFga  (produção  Yonest   controlada)   Marca  presFgiada  no  mercado  nacional   Representação  da  Yonest  perante  o  seu  público   Serviços  completos  de  acompanhamento   Soluções  de  equipamento  e  comunicação  à  medida     2   “Ajudamos  os  nossos  franchisados  a   Em  caso  de   organizar  e  rentabilizar  uma  oferta   dúvida     moderna  e  inovadora  de  iogurte,  nos  seus   contacte-­‐nos   espaços  comerciais”   Queremos  ajudá-­‐lo   yonest@yonest.pt       967  826  425     yonest.pt       /Yonest.True.Yogurt       @yonestyogurt       Yonest  True  Yogurt   2     O  Iogurte  Grego  Tradicional  é  Yonest   100%    NATURAL     sem  adiFvos     Industriais   FRUTAS   FRESCAS   BaFdas  e  com   pedaços   LEITE  FRESCO  DO  “DIA”   mantém  todo  o  seu   sabor  e  flora  probióFca   viva   SEM  ADIÇÃO     DE  NATAS   cremosidade     naturalmente   obFda   4   Preparado  no  Momento  de  Consumo   COM  SOLUÇÕES  EM  BOIÃO  PARA  ‘TAKE  HOME’   5  

https://www.pdf-archive.com/2016/05/12/franchising-yonest/

12/05/2016 www.pdf-archive.com

GIOVANNA.FABRI CURRICULUM 60%

HSM Marketing Digital (Cabo Frio - RJ) Acompanhamento e gerenciamento de redes sociais das mais variadas áreas do mercado, criação de conteúdo, fotografia, design, artes gráficas, desenvolvimento de website em HTML5, criação e produção de impressos.

https://www.pdf-archive.com/2016/06/17/giovanna-fabri-curriculum/

17/06/2016 www.pdf-archive.com

Apresenta+º+úo Noiva belezaest+®tica 60%

belezaestética Pack Noiva Especial Pack Noivo • Hidratação Rosto com massagem de relaxamento • Hidratação de Corpo com massagem de relaxamento • Manicure com hidratação de Parafina • Pedicure com hidratação de Parafina Preço 160€ Pack Noivos Preço 330€ belezaestética • Hidratação Rosto com massagem de relaxamento a dois • Hidratação de Corpo com massagem de relaxamento a dois • Manicure a dois • Pedicure a dois Pack Madrinhas ideal para as que não dispensam estar perto da Noiva, conseguindo assim, sem stress ou correrias, um acompanhamento e preparação exclusivos às pessoas mais importantes neste dia tão especial.

https://www.pdf-archive.com/2016/08/22/apresenta-o-noiva-belezaest-tica/

22/08/2016 www.pdf-archive.com

II ENCONTRO PPS 60%

O Plano de Ação da escola consiste em um instrumento de trabalho dinâmico com o intuito de propiciar ações, ressaltando seus principais problemas e os objetivos dentro de metas a serem alcançadas, com critérios de acompanhamento e avaliação pelo trabalho desenvolvido.

https://www.pdf-archive.com/2017/04/07/ii-encontro-pps/

07/04/2017 www.pdf-archive.com

Salesforce - Aliança Académica - Portugues (1) 60%

Salesforce - Programa de Aliança Académica Sobre a K2 University ● Estrategicamente posicionados para oferecer um serviço completo de consultoria de carreira, baseada em inteligência de mercado, através da formação, com o objetivo de rápida inserção no mercado laboral ● Formação em sala de aula e e-learning com vias curriculares para certificação ● Suporte global, multi-idioma para acompanhamento dos estudantes.

https://www.pdf-archive.com/2017/09/08/salesforce-alianc-a-acade-mica-portugues-1/

08/09/2017 www.pdf-archive.com

0101010101010101010101 v2 60%

Bem-vindo ao Aplicativo DCE A área de Gestão de Desenvolvimento e Informações Gerenciais disponibilizou, para iPhone, todos os indicadores pertinentes ao acompanhamento e manutenção da carteira de DCE.

https://www.pdf-archive.com/2018/05/23/0101010101010101010101v2/

23/05/2018 www.pdf-archive.com