Search


PDF Archive search engine
Last database update: 09 May at 10:29 - Around 76000 files indexed.


Show results per page

Results for «ciclos»:


Total: 200 results - 0.056 seconds

5.- Ciclos de vida 98%

REACT CICLOS DE VIDA REACT CICLOS DE VIDA ▸ Un cliclo de vida de un componente consiste en métodos que son invocados cuando un componente es montado o actualizado ▸ Los 2 ciclos de vida de un componente son el ciclo del montado y el ciclo de la actualización CICLO DE MONTADO REACT CICLO DE MONTADO constructor(props)* componentWillMount() render() componentDidMount() componentWillUnmount() REACT CICLO DE MONTADO ▸ Hacer llamadas de API ▸ Inicializar/Destruir Timers ▸ Manipular el DOM ▸ Hacer llamadas a otras librerías ▸ Iniciar animaciones ▸ Entre otros

https://www.pdf-archive.com/2017/09/12/5-ciclos-de-vida/

12/09/2017 www.pdf-archive.com

RISC vs CISC - Questões comentadas 97%

Instruções que fazem referência a duas posições na memória levariam uma grande quantidade de ciclos para completar e foram descartadas.

https://www.pdf-archive.com/2017/09/05/risc-vs-cisc-quest-es-comentadas/

05/09/2017 www.pdf-archive.com

BT 12 17 REVENDEDOR BR 96%

DO CICLO 9 AO 12 (13/06/17 A 3/9/2017) DE 4 A 7 INDICAÇÕES considerando o acumulado dos Ciclos 9 ao 12 OU 8 OU MAIS INDICAÇÕES considerando o acumulado dos Ciclos 9 ao 12 80,00 R$ NO TOTAL 160,00 R$ NO TOTAL PARA RESGATAR EM PEDIDOS A PARTIR DO CICLO 142 8 REVISTA DO REVENDEDOR • QUASAR GEL CREME APÓS BARBA 110 g Preço sugerido 79 R$ ¹Informe o nome e o telefone da indicação para a Supervisora ou Central de Serviços.

https://www.pdf-archive.com/2017/08/15/bt-12-17-revendedor-br/

14/08/2017 www.pdf-archive.com

Tecnologia de baterias 95%

Base World Trading Tecnologı́a de las baterı́as A menudo los anuncios de nuevos desarrollos tecnológicos en el mundo de las baterías nos dejan desconcertados, nos dicen que han desarrollado baterías que ofrecen densidades de carga muy altas, 1000 ciclos de carga/descarga y son tan finas como el papel.

https://www.pdf-archive.com/2013/08/22/tecnologia-de-baterias/

22/08/2013 www.pdf-archive.com

Tecnologia de baterias recargables 95%

Base World Trading Tecnologı́a de las baterı́as recargables A menudo los anuncios de nuevos desarrollos tecnológicos en el mundo de las baterías nos dejan desconcertados, nos dicen que han desarrollado baterías que ofrecen densidades de carga muy altas, 1000 ciclos de carga/descarga y son tan finas como el papel.

https://www.pdf-archive.com/2013/08/22/tecnologia-de-baterias-recargables/

22/08/2013 www.pdf-archive.com

Exercícios de fixação 92%

Analisando os processos sexuados e ciclos de vida das plantas, considere as informações seguintes.

https://www.pdf-archive.com/2016/09/02/exerc-cios-de-fixac-o/

02/09/2016 www.pdf-archive.com

crisis ciclo 90%

Las crisis de pánico o de la economía Es frecuente ver en los medios de comunicación pronósticos que curiosamente se cumplen, no se trata de otra cosa mas que de ciclos económicos que se vienen cumpliendo desde hace siglos, tales ciclos producen crisis cada 4 o 5 años saltando de un lugar a otro como los saltamontes, también se puede observar en algunas ocasiones que cada 6 veces 4 años sucede una crisis mayor, esto es cada 24 o 25 años, por lo que podemos verlo gráficamente de la siguiente manera.

https://www.pdf-archive.com/2015/07/03/crisis-ciclo/

03/07/2015 www.pdf-archive.com

Panfleto II Seminário Fisioterapia ESALD 89%

Rute Crisóstomo “Ciclos Hormonais da Mulher” | Ft.

https://www.pdf-archive.com/2011/02/22/panfleto-ii-semin-rio-fisioterapia-esald/

22/02/2011 www.pdf-archive.com

actividad astronomia junio 89%

Sabemos que en torno al año 3000 antes de Cristo se empleaba un calendario lunar con ciclos de 28 días y midiendo el tiempo en “lunas” o periodos entre los que tenemos luna llena –mes sinódico-.

https://www.pdf-archive.com/2014/06/10/actividad-astronomia-junio/

10/06/2014 www.pdf-archive.com

Regulamento Interno AEA Maio2009 87%

Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE MAIO DE 2009 1 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE 2 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade INDÍCE Página INDICE 3 PREÂMBULO 6 CAPÍTULO I – DISPOSIÇÕES GERAIS 7 INTRODUÇÃO 8 Artº 1- OBJECTO e ÂMBITO de APLICAÇÃO 9 Artº 2 – CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 9 Artº3 – AUTONOMIA e INSTRUMENTOS DE AUTONOMIA 9 Artº 4 - PRINCÍPIOS ORIENTADORES DA ADMINISTRACÇÃO E GESTÃO DO AGRUPAMENTO 9 Artº 5 – CARACTERIZAÇÃO DO AGRUPAMENTO 10 Artº 5.1 – CONSTITUIÇÃO do AGRUPAMENTO 10 Artº 5.2- OFERTA EDUCATIVA 11 Artº 6 - REGIME DE FUNCIONAMENTO 11 CAPÍTULO II - ORGÃOS de ADMINSTRAÇÃO E GESTÃO ORGANOGRAMA – AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVALADE SECÇÃO I - CONSELHO GERAL 13 14 15 Artº 7 - CONSELHO GERAL - DEFINIÇÃO 15 Artº 8 - COMPOSIÇÃO 15 Artº 9 – COMPETÊNCIAS 15 Artº 10 – FUNCIONAMENTO 16 Artº 11 – DESIGNAÇÃO DOS REPRESENTANTES 17 Artº 12- ELEIÇÕES - NORMAS do PROCESSO ELEITORAL (pessoal docente e não docente) 17 Artº 13 – MANDATOS 18 SECÇÃO II - DIRECTOR 19 Artº 14 – DIRECTOR - DEFINIÇÃO 19 Artº 15 - COMPETÊNCIAS DO DIRECTOR 19 Artº 16 – RECRUTAMENTO e ELEIÇÃO 20 Artº 17 - POSSE 20 Artº 18 - MANDATO 20 Artº 19 – SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 20 Artº 20 – MANDATO DO SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 21 Artº 21 – COMPETÊNCIAS DO SUBDIRECTOR E ADJUNTOS DO DIRECTOR 21 Artº 22 - ASSESSORIAS TÉCNICO-PEDAGÓGICAS À DIRECÇÃO EXECUTIVA 21 SECÇÃO III - CONSELHO PEDAGÓGICO 23 Artº 23 – CONSELHO PEDAGÓGICO - DEFINIÇÃO 23 Artº 24 - COMPOSIÇÃO 23 Artº 25 - COMPETÊNCIAS 24 Artº 26 - MANDATOS 25 Artº 27 – FUNCIONAMENTO 25 SECÇÃO IV - CONSELHO ADMINISTRATIVO 26 Artº 28 – CONSELHO ADMINISTRATIVO - DEFINIÇÃO 26 Artº 29 - COMPOSIÇÃO 26 3 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade Artº 30 - COMPETÊNCIAS 26 Artº 31 - FUNCIONAMENTO 26 Artº 32 - MANDATOS 26 CAPÍTULO III - COORDENAÇÃO DE ESCOLA 27 Artº 33 – COORDENAÇÃO DE ESCOLA 28 Artº 34 - COMPETÊNCIAS 28 Artº 35 - MANDATO 29 CAPÍTULO IV - ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATIVA E SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ENSINO ESPECIAL SECÇÃO I - ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATIVA 30 31 Artº 36 – ESTRUTURAS DE ORIENTAÇÃO EDUCATICA E FINALIDADES 31 Artº 37 - ARTICULAÇÃO e GESTÃO CURRICULAR 31 Artº 37.1 - NOMEAÇÃO E MANDATOS DOS COORDENADORES DAS ESTRUTURAS 31 Artº 37.2- COMPETÊNCIAS DO CONSELHO DE DOCENTES E DEPARTAMENTOS CURRICULARES 32 Artº 37.3 – COMPETÊNCIAS DOS COORDENADORES DO CONSELHO DE DOCENTES E DEPARTAMENTOS CURRICULARES 32 Artº 38 – COORDENADOR DE DISCIPLINA (2º e 3º ciclos) 33 Artº 39 - ORGANIZAÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE ACTIVIDADES A DESENVOLVER EM CONTEXTO DE SALA OU TURMA 33 Artº 39.1- COMPETÊNCIAS DOS EDUCADORES DE INFÂNCIA 34 Artº 39.2 – COMPETÊNCIAS DOS PROFESSORES TITULARES DE TURMA / CONSELHO DE TURMA 34 Artº 39.3 – COMPETÊNCIAS, NOMEAÇÃO E MANDATO DO DIRECTOR DE TURMA 35 Artº 40 – COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA DE ANO E CICLO Artº 40.1 – FUNCIONAMENTO E COMPETÊNCIAS DOS CONSELHOS DE DOCENTES TITULARES DE TURMA 37 37 Artº 40.2 – COMPETÊNCIAS DO COORDENADOR DOS DIRECTORES DE TURMA Artº 43 - COORDENAÇÃO E COMPETÊNCIAS DO COORDENADOR DO CONSELHO DE DOCENTES TITULARES DE TURMA – COORDENADORES DE ANO E DE DOCENTES (1º ciclo) E CONSELHOS DE DIRECTORES DE TURMA 37 Artº 44 - CONSELHO DE ESCOLA 39 SECÇÃO II - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE EDUCAÇÃO ESPECIAL E SPO Artº 45 – DEFINIÇÃO E FINALIDADES SECÇÃO III - OUTROS SERVIÇOS DE APOIO ESCOLAR 38 40 40 41 Artº 46 - DEFINIÇÃO / COMPOSIÇÃO 41 Artº 47 - PLANO TECNOLOGICO DA EDUCAÇÃO (PTE) 41 Artº 48 - CENTROS DE RECURSOS EDUCATIVOS (CRE) / BIBLIOTECA 43 Artº 49 - GABINETE DE APOIO AO ALUNO (GAA) 49 SECÇÃO IV - AVALIAÇÃO DAS APRENDIZAGENS 50 Artº 50 - ORGANIZAÇÃO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DAS ACTIVIDADES DE TURMA 50 Artº 51 – TIPOS DE AVALIAÇÃO E INTERVENIENTES 50 Artº 52 - PROCESSO/DOSSIER INDIVIDUAL DO ALUNO (PIA / DIA) 54 Artº 53 - CRITÉRIOS DE RETENÇÃO 55 CAPÍTULO V - PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE EDUCATIVA SECÇÃO I - ALUNOS 57 58 Artº 54 - DIREITOS DOS ALUNOS 58 Artº 55 - DEVERES DOS ALUNOS 58 Artº 56 - ASSIDUIDADE 59 Artº 57 – DISCIPLINA 60 4 Regulamento Interno Agrupamento de Escolas de Alvalade Artº 58 – COMPETÊNCIAS PARA APLICAÇÃO DAS MEDIDAS DISCIPLINARES 60 Artº 59 – ACTIVIDADES DE OCUPAÇÃO DOS ALUNOS 60 Artº 60 – ACTIVIDADES DE INTEGRAÇÃO NA ESCOLA 61 Artº 61 – REALIZAÇÃO DE REUNIÕES DE TURMA 61 Artº 62 – RECONHECIMENTO À VALORIZAÇÃO E AO MÉRITO (2º e 3º ciclos) 63 SECÇÃO II - PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 63 – DIREITOS DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 64 – DEVERES DOS PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 64 Artº 65 - REPRESENTAÇÃO, INTERVENÇÃO E PARTICIPAÇÃO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DOS ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃO 65 SECÇÃO III -PESSOAL DOCENTE Artº 66 – DIREIROS E DEVERES DO PESSOAL DOCENTE SECÇÃO IV - PESSOAL NÃO DOCENTE DIREITOS E DEVERES DO PESSOAL NÃO DOCENTE Artº 67 – DIREITOS E DEVERES DO PESSOAL NÃO DOCENTE SECÇÃO V - AUTARQUIA Artº 68 – AUTARQUIA SECÇÃO VI - REPRESENTANTES DA COMUNIDADE LOCAL Artº 69 – REPRESENTANTES DA COMUNIDADE LOCAL CAPÍTULO VI - OUTRAS ESTRUTURAS E SERVIÇOS E RESPECTIVO FUNCIONAMENTO Artº 70 – OUTRAS ESTRUTURAS E SERVIÇOS E RESPECTIVO FUNCIONAMENTO CAPÍTULO VII - DISPOSIÇÕES COMUNS Artº 71 – DISPOSIÇÕES COMUNS CAPÍTULO VIII - DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS 67 67 68 68 69 69 70 70 71 72 73 74 77 SECÇÃO I - JARDINS DE INFÂNCIA 78 SECÇÃO II - ESCOLAS DO 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 80 CAPÍTULO IX - DISPOSIÇÕES FINAIS 82 NOTA FINAL 84 ANEXO I – LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA 85 5

https://www.pdf-archive.com/2012/03/13/regulamento-interno-aea-maio2009/

13/03/2012 www.pdf-archive.com

Karl Marx - El Capital II 86%

LA ROTACIÓN GLOBAL DEL CAPITAL DESEMBOLSADO, CICLOS DE ROTACIÓN.

https://www.pdf-archive.com/2013/05/13/karl-marx-el-capital-ii/

13/05/2013 www.pdf-archive.com

anat aves3 85%

Participa musculatura intercostal y abdominal Circulación del aire sacos aéreos anteriores pulmón sacos aéreos posteriores Circulación del aire ciclo 1 ciclo 2 inspiración expiración para que el aire pueda recorrer todo el circuito son necesarios dos ciclos respiratorios el intercambio gaseoso sólo se produce en los pulmones Espacios neumáticos t, tráquea lu, pulmón pns, pts, senos craneales aas, atas, cas, clas, hd, ptas, sacos aéreos

https://www.pdf-archive.com/2015/07/13/anat-aves3/

13/07/2015 www.pdf-archive.com

Grado medio en deporte 85%

• • • • • • • • tener el título de ESO (graduado en educación secundaria obligatoria) haber superado el curso específico para el acceso a los ciclos de grado medio tener el título de técnico o de técnico auxiliar haber superado el segundo curso del bachillerato unificado y polivalente (BUP) tener otros estudios equivalentes a efectos académicos haber superado la prueba de acceso a la universidad para mayores de 25 años haber superado los módulos obligatorios de un programa de cualificación profesional inicial (PCPI) tener un título para acceder a un ciclo formativo de grado superior Las personas que no cumplen ninguno de los requisitos mencionados tienen que superar una prueba de acceso.

https://www.pdf-archive.com/2018/04/23/grado-medio-en-deporte/

23/04/2018 www.pdf-archive.com

CV-FilipeFragoso 85%

Curriculum vitae INFORMAÇÃO PESSOAL Filipe Guterres Coelho Fragoso Avenida Dom Vicente Afonso Valente, nº7, 7º Esquerdo, 2625-215 Póvoa de Santa Iria (Portugal) 219565005 918740337 filipe.fragoso95@gmail.com EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL 10/2017–Presente Técnico de Exercício Físico - Instrutor de aulas de grupo Pump - Fitness Spirit, Lisboa (Portugal) 2017–2017 Estágio - Técnico de Exercício Físico Pump - Parque das Nações, Lisboa (Portugal) 2012–2013 Estágio - Treinador adjunto de Futebol Escola Academia Sporting, Póvoa de Santa Iria (Portugal) EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO 2017–Presente Mestrado em Ensino da Educação Física nos ciclos Básico e Secundário Universidade de Lisboa - Faculdade de Motricidade Humana, Cruz Quebrada (Portugal) 2013–2017 Licenciatura em Ciências do Desporto – Maior em Educação Física e Menor em Exercício e Saúde Universidade de Lisboa - Faculdade de Motricidade Humana, Cruz Quebrada (Portugal) 2010–2013 12º ano do curso Tecnológico de Desporto Escola Secundária de Gago Coutinho, Alverca (Portugal) 2005–2010 Ensino Básico do 2º e 3º Ciclo EB 2,3 Aristides de Sousa Mendes, Póvoa de Santa Iria (Portugal) 2001–2005 Ensino básico de 1º ciclo Escola básica nº 2, Póvoa de Santa Iria (Portugal) COMPETÊNCIAS PESSOAIS Língua materna Competências de comunicação 31/12/17 Português Boa capacidade de adaptação da linguagem, devido a experiências de estágio em contexto de ginásio, com clientes (maioritariamente) adultos, e também, em contexto de treino de futebol, com crianças em idades inferiores a 10 anos.

https://www.pdf-archive.com/2017/12/31/cv-filipefragoso/

31/12/2017 www.pdf-archive.com

RV270414 83%

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS BOLSAS DOW JONES S&P500 NASDAQ SENSEX BOVESPA SHANGAI FTSE CAC DAX CICLOS DE ALTA DURAÇÃO FUNDO 10/10/02 a 11/10/07 7197,50 10/10/02 a 11/10/07 768,63 10/10/02 a 31/10/07 1108,49 31/10/02 a 10/01/08 2828,48 16/10/02 a 29/05/08 8224,00 06/06/05 a 16/10/07 998,23 12/03/03 a 13/07/07 3277,50 12/03/03 a 01/06/07 2401,15 12/03/03 a 13/07/07 2188,75 TOPO 14198,10 1576,09 2861,51 21206,77 73920,00 6124,04 6754,10 6168,15 8151,57 % OSC 97,26% 105,05% 158,14% 649,75% 798,83% 513,48% 106,07% 156,88% 272,43% CICLOS DE BAIXA DURAÇÃO TOPO FUNDO 11/10/07 a 09/03/09 14198,10 6469,95 11/10/07 a 06/03/09 1576,09 666,79 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 29/05/08 a 27/10/08 73920,00 29435 16/10/07 a 28/10/08 6124,04 1664,93 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 % OSC (54,43%) (57,69%) (55,77%) (63,70%) (60,17%) (72,81%) (48,76%) (60,02%) (55,97%) 4 Fundação:

https://www.pdf-archive.com/2014/04/28/rv270414/

28/04/2014 www.pdf-archive.com

RV040514 83%

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS BOLSAS DOW JONES S&P500 NASDAQ SENSEX BOVESPA SHANGAI FTSE CAC DAX CICLOS DE ALTA DURAÇÃO FUNDO 10/10/02 a 11/10/07 7197,50 10/10/02 a 11/10/07 768,63 10/10/02 a 31/10/07 1108,49 31/10/02 a 10/01/08 2828,48 16/10/02 a 29/05/08 8224,00 06/06/05 a 16/10/07 998,23 12/03/03 a 13/07/07 3277,50 12/03/03 a 01/06/07 2401,15 12/03/03 a 13/07/07 2188,75 TOPO 14198,10 1576,09 2861,51 21206,77 73920,00 6124,04 6754,10 6168,15 8151,57 % OSC 97,26% 105,05% 158,14% 649,75% 798,83% 513,48% 106,07% 156,88% 272,43% CICLOS DE BAIXA DURAÇÃO TOPO FUNDO 11/10/07 a 09/03/09 14198,10 6469,95 11/10/07 a 06/03/09 1576,09 666,79 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 29/05/08 a 27/10/08 73920,00 29435 16/10/07 a 28/10/08 6124,04 1664,93 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 % OSC (54,43%) (57,69%) (55,77%) (63,70%) (60,17%) (72,81%) (48,76%) (60,02%) (55,97%) 4 Fundação:

https://www.pdf-archive.com/2014/05/05/rv040514/

05/05/2014 www.pdf-archive.com

RV171113 (1) 82%

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS BOLSAS DOW JONES S&P500 NASDAQ SENSEX BOVESPA SHANGAI FTSE CAC DAX CICLOS DE ALTA DURAÇÃO FUNDO 10/10/02 a 11/10/07 7197,50 10/10/02 a 11/10/07 768,63 10/10/02 a 31/10/07 1108,49 31/10/02 a 10/01/08 2828,48 16/10/02 a 29/05/08 8224,00 06/06/05 a 16/10/07 998,23 12/03/03 a 13/07/07 3277,50 12/03/03 a 01/06/07 2401,15 12/03/03 a 13/07/07 2188,75 TOPO 14198,10 1576,09 2861,51 21206,77 73920,00 6124,04 6754,10 6168,15 8151,57 % OSC 97,26% 105,05% 158,14% 649,75% 798,83% 513,48% 106,07% 156,88% 272,43% CICLOS DE BAIXA DURAÇÃO TOPO FUNDO 11/10/07 a 09/03/09 14198,10 6469,95 11/10/07 a 06/03/09 1576,09 666,79 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 29/05/08 a 27/10/08 73920,00 29435 16/10/07 a 28/10/08 6124,04 1664,93 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 % OSC (54,43%) (57,69%) (55,77%) (63,70%) (60,17%) (72,81%) (48,76%) (60,02%) (55,97%) 4 Ano XV - nº.

https://www.pdf-archive.com/2013/11/18/rv171113-1/

18/11/2013 www.pdf-archive.com

RV101113 (1) 82%

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS BOLSAS DOW JONES S&P500 NASDAQ SENSEX BOVESPA SHANGAI FTSE CAC DAX CICLOS DE ALTA DURAÇÃO FUNDO 10/10/02 a 11/10/07 7197,50 10/10/02 a 11/10/07 768,63 10/10/02 a 31/10/07 1108,49 31/10/02 a 10/01/08 2828,48 16/10/02 a 29/05/08 8224,00 06/06/05 a 16/10/07 998,23 12/03/03 a 13/07/07 3277,50 12/03/03 a 01/06/07 2401,15 12/03/03 a 13/07/07 2188,75 TOPO 14198,10 1576,09 2861,51 21206,77 73920,00 6124,04 6754,10 6168,15 8151,57 % OSC 97,26% 105,05% 158,14% 649,75% 798,83% 513,48% 106,07% 156,88% 272,43% CICLOS DE BAIXA DURAÇÃO TOPO FUNDO 11/10/07 a 09/03/09 14198,10 6469,95 11/10/07 a 06/03/09 1576,09 666,79 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 29/05/08 a 27/10/08 73920,00 29435 16/10/07 a 28/10/08 6124,04 1664,93 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 % OSC (54,43%) (57,69%) (55,77%) (63,70%) (60,17%) (72,81%) (48,76%) (60,02%) (55,97%) 4 Ano XV - nº.

https://www.pdf-archive.com/2013/11/12/rv101113-1/

12/11/2013 www.pdf-archive.com

RV110514 82%

O ÚLTIMO CICLO COMPLETO DAS PRINCIPAIS BOLSAS MUNDIAIS BOLSAS DOW JONES S&P500 NASDAQ SENSEX BOVESPA SHANGAI FTSE CAC DAX CICLOS DE ALTA DURAÇÃO FUNDO 10/10/02 a 11/10/07 7197,50 10/10/02 a 11/10/07 768,63 10/10/02 a 31/10/07 1108,49 31/10/02 a 10/01/08 2828,48 16/10/02 a 29/05/08 8224,00 06/06/05 a 16/10/07 998,23 12/03/03 a 13/07/07 3277,50 12/03/03 a 01/06/07 2401,15 12/03/03 a 13/07/07 2188,75 TOPO 14198,10 1576,09 2861,51 21206,77 73920,00 6124,04 6754,10 6168,15 8151,57 % OSC 97,26% 105,05% 158,14% 649,75% 798,83% 513,48% 106,07% 156,88% 272,43% CICLOS DE BAIXA DURAÇÃO TOPO FUNDO 11/10/07 a 09/03/09 14198,10 6469,95 11/10/07 a 06/03/09 1576,09 666,79 31/10/07 a 09/03/09 2861,51 1265,62 10/01/08 a 27/10/08 21206,77 7697,39 29/05/08 a 27/10/08 73920,00 29435 16/10/07 a 28/10/08 6124,04 1664,93 13/07/07 a 09/03/09 6754,10 3460,70 01/06/07 a 09/03/09 6168,15 2465,46 13/07/07 a 09/03/09 8151,57 3588,89 % OSC (54,43%) (57,69%) (55,77%) (63,70%) (60,17%) (72,81%) (48,76%) (60,02%) (55,97%) 4 Fundação:

https://www.pdf-archive.com/2014/05/12/rv110514/

12/05/2014 www.pdf-archive.com

ARCH-CM 81%

Ciclos tripartitos rematados con un bono es el modus operandi usado en este 2017 para organizar las reuniones públicas de la secta.

https://www.pdf-archive.com/2017/03/06/arch-cm/

06/03/2017 www.pdf-archive.com