PDF Archive

Easily share your PDF documents with your contacts, on the Web and Social Networks.

Share a file Manage my documents Convert Recover PDF Search Help Contact


Search


PDF Archive search engine
Last database update: 18 September at 10:32 - Around 220000 files indexed.

Show results per page

Results for «tratamento»:


Total: 130 results - 0.09 seconds

Ebook Acne e Iso oral 100%

ISOTRETINOINA O QUE EU PRECISO ORAL LARISSA QUINTANILHA A Isotretinoina é um dos medicamentos com mais resultados no tratamento da acne, pois ele age em todos os fatores que formam a acne.

https://www.pdf-archive.com/2017/10/24/ebook-acne-e-iso-oral/

24/10/2017 www.pdf-archive.com

TABELA DE SERVIÇOS FIT&TREAT (210x190mm) 2016-06-04 97%

€34,00 €29,00 Contorno de Olhos e Lábios (tratamento de precisão) 30min.

https://www.pdf-archive.com/2014/06/04/tabela-de-servi-os-fit-treat-210x190mm-2016-06-04/

04/06/2014 www.pdf-archive.com

grandehotel-spa-pt 10-20h 95%

A aquisição de qualquer tratamento inclui o acesso gratuito ao circuito termal e ginásio.

https://www.pdf-archive.com/2014/08/30/grandehotel-spa-pt-10-20h/

30/08/2014 www.pdf-archive.com

Banner Iniciação Científica Andrei 94%

Este amplo campo abrange o conhecimento sobre o estado normal da polpa e a etiologia, tratamento e prevenção de lesões que podem acometê-la.

https://www.pdf-archive.com/2014/11/11/banner-iniciac-o-cient-fica-andrei/

11/11/2014 www.pdf-archive.com

Area1Aula1IntrodAProcessamento2017 91%

3/30/2017 GEO 04002 – PALEONTOLOGIA II - 2017 Coleta e tratamento laboratorial de amostras para recuperação de microfósseis Como coletar as amostras ?

https://www.pdf-archive.com/2017/05/04/area1aula1introdaprocessamento2017/

04/05/2017 www.pdf-archive.com

Jornadas-de-Oncologia-2017 87%

Osteoporose associada a tratamento de cancro da mama Romana Vieira 3.

https://www.pdf-archive.com/2018/09/04/jornadas-de-oncologia-2017/

04/09/2018 www.pdf-archive.com

Celula Tronco 86%

Medicina A Possível Resposta para Muitos Problemas As Células Tronco e a Terapia Celular podem ser o próximo passo na Biomedicina no tratamento de doenças e teste de medicamentos;

https://www.pdf-archive.com/2015/06/06/celula-tronco/

06/06/2015 www.pdf-archive.com

dia20sp 85%

Clarissa Mathias - BA 11:00 - 11:20 Novas Perspectivas no tratamento combinado do câncer de pulmão localmente avançado Presidente:

https://www.pdf-archive.com/2018/07/28/dia20sp/

28/07/2018 www.pdf-archive.com

Leishmaniose 85%

Tratamento para aversão em humanos costuma ser longo, mas, se fato acertadamente, é bastante eficiente (curando ou estabelecendo melhora das crises)”, como.

https://www.pdf-archive.com/2017/07/23/leishmaniose/

23/07/2017 www.pdf-archive.com

Dr. Angelo Crosara 84%

“O emprego do Ambilhar no Tratamento da Esquistossomose Mansonica.”  IV Congresso Brasileiro de Patologia Clinica, Trabalho em Colaboração sob tema:

https://www.pdf-archive.com/2014/07/21/dr-angelo-crosara/

21/07/2014 www.pdf-archive.com

Anticancer 84%

A nutrição e o estilo de vida como instrumentos de prevenção e de tratamento do câncer Autor:

https://www.pdf-archive.com/2012/05/12/anticancer/

12/05/2012 www.pdf-archive.com

anticancer 83%

A nutrição e o estilo de vida como instrumentos de prevenção e de tratamento do câncer Autor:

https://www.pdf-archive.com/2012/05/17/anticancer/

17/05/2012 www.pdf-archive.com

Diego Brotas CV 83%

Produção e tratamento de fotografias para o Festival Espírito Mundo [Paris (FR) e Birmingham (UK) 2012].

https://www.pdf-archive.com/2013/11/01/diego-brotas-cv/

01/11/2013 www.pdf-archive.com

POR-Leaflet Eczema Atopic 30g Print 82%

Para o tratamento da pele com Eczema Atópico Leia cuidadosamente o folheto informativo antes de utilizar o creme Dermalex Repair para o Eczema Atópico – a fim de obter melhores resultados deve cumprir rigorosamente as instruções nele descritas.

https://www.pdf-archive.com/2012/03/28/por-leaflet-eczema-atopic-30g-print/

28/03/2012 www.pdf-archive.com

ER1097 82%

da nutrição à clínica - Ana Salomé dos Santos Pires Lourenço | Rádio-223 no tratamento do carcinoma da próstata metastático.

https://www.pdf-archive.com/2018/08/23/er1097/

23/08/2018 www.pdf-archive.com

Anticâncer 81%

A alimentação e o estilo de vida como instrumentos de prevenção e de tratamento do câncer Autor:

https://www.pdf-archive.com/2012/06/21/antic-ncer/

21/06/2012 www.pdf-archive.com

Ebook Acne corrigido 80%

O tratamento varia de acordo com o grau.

https://www.pdf-archive.com/2017/10/24/ebook-acne-corrigido/

24/10/2017 www.pdf-archive.com

Anexo I Rol 2014 79%

Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO EM HOSPITAL-DIA PSIQUIÁTRICO (COM CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO INTEGRAL AO RECÉM-NASCIDO (SALA DE PARTO, BERÇÁRIO E UTI) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO MÉDICO DO INTENSIVISTA EM UTI GERAL OU PEDIÁTRICA ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATENDIMENTO PEDIÁTRICO A GESTANTES (3º TRIMESTRE) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATIVIDADE EDUCACIONAL PARA PLANEJAMENTO FAMILIAR ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ATIVIDADE EDUCATIVA EM SAÚDE BUCAL ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA DE ACONSELHAMENTO PARA PLANEJAMENTO FAMILIAR ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA COM FISIOTERAPEUTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA MÉDICA ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTA/SESSÃO COM PSICÓLOGO E/OU TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA/SESSÃO COM FONOAUDIÓLOGO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU CONSULTA COM NUTRICIONISTA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES CONSULTA/SESSÃO COM TERAPEUTA OCUPACIONAL (COM DIRETRIZ DE CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU UTILIZAÇÃO) ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES ACONSELHAMENTO GENÉTICO GRUPO - Rol 2014 OD AMB HCO HSO PAC DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO PROCEDIMENTOS GERAIS AMB HCO PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS OD PROCEDIMENTOS GERAIS OD DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS AMB PROCEDIMENTOS GERAIS DUT DUT OD PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT PROCEDIMENTOS GERAIS AMB DUT TRANSPORTE EXTRA-HOSPITALAR DE PACIENTES GRAVES COM ACOMPANHAMENTO MÉDICO, DO ESTABELECIMENTO HOSPITALAR DE ORIGEM PARA OUTRO ESTABELECIMENTO DE SAÚDE CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO VISITA HOSPITALAR CONSULTAS, VISITAS HOSPITALARES OU ACOMPANHAMENTO DE PACIENTES PROCEDIMENTOS GERAIS HCO HSO ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE DE CÓRNEA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO AMBULATORIAL PÓS-TRANSPLANTE RENAL AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS ACOMPANHAMENTO CLÍNICO DE TRANSPLANTE RENAL NO PERÍODO DE INTERNAÇÃO DO RECEPTOR E DO DOADOR AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS AVALIAÇÃO CLÍNICA DIARIA ENTERAL E/OU PARENTERAL AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS AVALIAÇÃO CLÍNICA E ELETRÔNICA DE PACIENTE PORTADOR DE MARCA-PASSO OU SINCRONIZADOR OU DESFIBRILADOR AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO PAC HCO HSO AMB HCO HSO 1 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CARDIOVERSÃO ELÉTRICA COM ELETROCARDIOGRAMA AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS CONTROLE DE BIOFILME DENTAL (PLACA BACTERIANA) AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS FORNECIMENTO DE EQUIPAMENTOS COLETORES E ADJUVANTES PARA COLOSTOMIA, ILEOSTOMIA E UROSTOMIA, SONDA VESICAL DE DEMORA E COLETOR DE URINA (COM PROTOCOLO DE UTILIZAÇÃO - PROUT) AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS PROFILAXIA - POLIMENTO CORONÁRIO AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS TERAPIA ANTINEOPLÁSICA ORAL PARA TRATAMENTO DO CÂNCER (COM DIRETRIZ AVALIAÇÕES/ACOMPANHAMENTOS DE UTILIZAÇÃO) CARDIOTOCOGRAFIA MONITORIZAÇÕES HOLTER DE 24 HORAS - 2 OU MAIS CANAIS - ANALÓGICO OU DIGITAL MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO AMBULATORIAL DA PRESSÃO ARTERIAL - MAPA (24 HORAS) COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO DA PRESSÃO INTRACRANIANA MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO HEMODINÂMICA INVASIVA OU NÃO INVASIVA MONITORIZAÇÕES MONITORIZAÇÃO NEUROFISIOLÓGICA INTRA-OPERATÓRIA MONITORIZAÇÕES POTENCIAL EVOCADO INTRA-OPERATÓRIO - MONITORIZAÇÃO CIRÚRGICA (PE/IO) MONITORIZAÇÕES TESTE DE INCLINAÇÃO ORTOSTÁTICA (TILT TEST) - COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO MONITORIZAÇÕES ADAPTAÇÃO E TREINAMENTO DE RECURSOS ÓPTICOS REABILITAÇÃO AMPUTAÇÃO (PREPARAÇÃO DO COTO E TREINAMENTO PROTÉTICO) REABILITAÇÃO BIOFEEDBACK COM EMG REABILITAÇÃO EXERCÍCIOS DE ORTÓPTICA REABILITAÇÃO INFILTRAÇÃO DE PONTO GATILHO OU AGULHAMENTO SECO REABILITAÇÃO REABILITACAO E REEDUCACAO DE SEQÜELAS EM TRAUMATISMOS E POLITRAUMATIZADOS REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO LABIRÍNTICA REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO PERINEAL/VESICO-URETRAL COM OU SEM BIOFEEDBACK REABILITAÇÃO REEDUACAÇÃO E REABILITAÇÃO DE QUEIMADOS PARA PREVENÇÃO DE SEQUELAS REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DO SISTEMA LINFÁTICO E/OU VASCULAR PERIFÉRICO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO DO SISTEMA MÚSCULO-ESQUELÉTICO POR DISTÚRBIOS CONGÊNITOS OU REUMÁTICOS REABILITAÇÃO REABILITAÇÃO GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO OD PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES AMB HCO HSO OD AMB PAC DUT AMB HCO HSO AMB AMB DUT HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO PAC DUT AMB AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO 2 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NEUROLÓGICA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NEURO-MÚSCULO-ESQUELÉTICA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO NO RETARDO DO DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO RESPIRATÓRIA REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E REABILITAÇÃO TRAUMATO-ORTOPÉDICA (EXCLUI TÉCNICAS CINESIOTERÁPICAS ESPECÍFICAS) REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E/OU REABILITAÇÃO DE DISTÚRBIOS CRÂNIO-FACIAIS REABILITAÇÃO REEDUCAÇÃO E/OU REABILITAÇÃO NOS PROCESSOS INFLAMATÓRIOS PÉLVICOS REABILITAÇÃO ACTINOTERAPIA TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE CARIOSTÁTICO (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE HIPOSSENSIBILIZANTE TERAPÊUTICA APLICAÇÃO DE SELANTE (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA APLICAÇÃO TÓPICA DE FLÚOR TERAPÊUTICA BETATERAPIA TERAPÊUTICA CARDIOVERSÃO QUÍMICA DE ARRITMIA PAROXÍSTA TERAPÊUTICA CATETERISMO VESICAL TERAPÊUTICA CERUMEN - REMOÇÃO TERAPÊUTICA CRIOTERAPIA TERAPÊUTICA CURATIVOS EM GERAL COM OU SEM ANESTESIA TERAPÊUTICA DILATAÇÃO URETRAL TERAPÊUTICA DESSENSIBILIZAÇÃO DENTÁRIA TERAPÊUTICA ESTIMULAÇÃO ELÉTRICA TRANSCUTÂNEA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA FOTOTERAPIA COM UVA (PUVA) PARA TRATAMENTO DE PSORÍASE OU VITILIGO TERAPÊUTICA INSTILAÇÃO VESICAL OU URETRAL TERAPÊUTICA LESÕES MÚSCULO TENDINOSAS - TRATAMENTO INCRUENTO TERAPÊUTICA PLANEJAMENTO TÉCNICO DA IMUNOTERAPIA ALÉRGENO INESPECÍFICA TERAPÊUTICA GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO OD DUT AMB HCO HSO OD DUT OD AMB HCO HSO PAC AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO OD AMB HCO HSO AMB DUT PAC AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO 3 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 PLANEJAMENTO TÉCNICO DA IMUNOTERAPIA ALÉRGENO-ESPECÍFICA TERAPÊUTICA PRIAPISMO - TRATAMENTO NÃO CIRÚRGICO TERAPÊUTICA PULSOTERAPIA TERAPÊUTICA OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA REDUÇÃO DE LUXAÇÃO DA ATM (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA REMINERALIZAÇÃO DENTÁRIA TERAPÊUTICA SESSÃO DE ACUPUNTURA TERAPÊUTICA SESSÃO DE PSICOTERAPIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA IMUNOBIOLÓGICA ENDOVENOSA PARA TRATAMENTO DE ARTRITE PSORIÁSICA, DOENÇA DE CROHN E ESPONDILITE ANQUILOSANTE (COM DIRETRIZ TERAPÊUTICA DE UTILIZAÇÃO) TERAPIA IMUNOBIOLÓGICA ENDOVENOSA OU SUBCUTÂNEA PARA TRATAMENTO DE ARTRITE REUMATÓIDE (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA INALATÓRIA (NEBULIZAÇÃO) TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA - PLANEJAMENTO TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA COM APLICAÇÃO DE MEDICAMENTOS POR VIA INTRACAVITÁRIA OU INTRATECAL TERAPIA ONCOLÓGICA COM APLICAÇÃO INTRA-ARTERIAL OU INTRAVENOSA DE MEDICAMENTOS TERAPÊUTICA TERAPÊUTICA TERAPIA ONCOLÓGICA MEDICAMENTOSA PEROPERATÓRIA TERAPÊUTICA APÊNDICE PRÉ-AURICULAR - RESSECÇÃO PROCEDIMENTOS AUTONOMIZAÇÃO DE RETALHO PROCEDIMENTOS BIÓPSIA DE FACE PROCEDIMENTOS BIÓPSIA DE PELE, TUMORES SUPERFICIAIS, TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, LINFONODO SUPERFICIAL, UNHA, ETC PROCEDIMENTOS CALOSIDADE E/OU MAL PERFURANTE - DESBASTAMENTO PROCEDIMENTOS CANTOPLASTIA UNGUEAL PROCEDIMENTOS CAUTERIZAÇÃO QUÍMICA PROCEDIMENTOS CIRURGIA DA HIDROSADENITE PROCEDIMENTOS CORREÇÃO CIRÚRGICA DE SEQUELAS DE ALOPECIA TRAUMÁTICA COM MICROENXERTOS PILOSOS PROCEDIMENTOS GRUPO - Rol 2014 PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PROCEDIMENTOS CLÍNICOS AMBULATORIAIS E HOSPITALARES PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS OD AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO PAC DUT OD AMB HCO HSO DUT OD AMB AMB DUT AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO PAC DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO PAC HCO HSO PAC AMB HCO HSO PAC HCO HSO PAC AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO 4 Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde - 2014 PROCEDIMENTO - Rol 2014 SUBGRUPO - Rol 2014 CORREÇÃO DE DEFORMIDADES POR EXÉRESE DE TUMORES OU SEQÜELAS DE TRAUMATISMOS COM O EMPREGO DE EXPANSORES EM RETALHOS CUTÂNEOS, MUSCULARES E/OU MIOCUTÂNEOS PROCEDIMENTOS CRIOCIRURGIA (NITROGÊNIO LÍQUIDO) DE NEOPLASIAS CUTÂNEAS PROCEDIMENTOS CURATIVO DE QUEIMADURAS PROCEDIMENTOS CURATIVO ESPECIAL SOB ANESTESIA PROCEDIMENTOS CURETAGEM, ELETROCOAGULAÇÃO E/OU DERMOABRASÃO DE LESÕES DE PELE E PROCEDIMENTOS MUCOSAS DERMOLIPECTOMIA (COM DIRETRIZ DE UTILIZAÇÃO) PROCEDIMENTOS DESBRIDAMENTO CIRÚRGICO PROCEDIMENTOS DESBRIDAMENTO DE FERIMENTOS INFECTADOS E MORDIDAS DE ANIMAIS PROCEDIMENTOS ENXERTO DE CARTILAGEM, MUCOSA E/OU COMPOSTO PROCEDIMENTOS ENXERTO DE PELE MÚLTIPLO PROCEDIMENTOS ENXERTO OU HOMOENXERTO DE PELE PROCEDIMENTOS ESCALPO - TRATAMENTO CIRÚRGICO PROCEDIMENTOS ESCAROTOMIA DESCOMPRESSIVA PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE HIGROMA CÍSTICO PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE LESÃO COM AUTO-ENXERTIA PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE LESÃO DE PELE E MUCOSAS PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE TUMOR DE PARTES MOLES PROCEDIMENTOS EXÉRESE DE UNHA PROCEDIMENTOS EXÉRESE E SUTURA DE LESÕES COM OU SEM ROTAÇÃO DE RETALHOS PROCEDIMENTOS EXPANSÃO TISSULAR PROCEDIMENTOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXCISÃO E RETALHOS CUTÂNEOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E EMPREGO DE RETALHOS CUTÂNEOS OU MUSCULARES CRUZADOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E RETALHOS CUTÂNEOS EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E ROTAÇÃO DE RETALHO FASCIOCUTÂNEO OU AXIAL EXTENSOS FERIMENTOS, CICATRIZES OU TUMORES - EXÉRESE E ROTAÇÃO DE RETALHOS MIOCUTÂNEOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTOS GRUPO - Rol 2014 PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS PELE E TECIDO CELULAR SUBCUTÂNEO, MUCOSAS E ANEXOS OD AMB HCO HSO PAC DUT HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO DUT AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO AMB HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO HCO HSO 5

https://www.pdf-archive.com/2014/01/07/anexo-i-rol-2014/

07/01/2014 www.pdf-archive.com

Trabalho - Trat 78%

  COLÉGIO   EDUCACIONAL   DE   SUPLÊNCIA  E   TÉCNICO   ­  CEST      NATAN   ARRUDA   COSTA          MÉTODOS   ALTERNATIVOS   PARA   O  TRAT.  DE   ESGOTO            Ipatinga­MG  2017                Sumário    Introdução  Fossa   Séptica   ……………………………………………..……..……………………   01  Sistema   Wetlands   construídos   ………………………..……………………..……...   03    Desenvolvimento  Comparação   de   sistemas   …………………………………...……………………….   05    Conclusão   ………………………………………………………………………….…   08    Referências  …   ………………………………………………………………….   .……09        Fossa   Séptica    Fossa   séptica   se   trata   de   um   sistema   de   tratamento   de   esgoto   sanitário   que   ocorre  em   domicílios;   é  uma   unidade   que   atua   química   e  fisicamente   nos   dejetos.   Por   ser  mais   utilizada   na   zona   rural   (por   não   ter   tratamento   de   esgoto),   a  fossa   séptica   atua  purificando   a  água   vinda   dos   vasos   sanitários   para   ser   devolvida   ao   meio   ambiente  com   o  mínimo   de   impacto   ambiental.    Primeiramente,   os   dejetos   vindos   da   residência   são   depositados   em   um   tanque,  construído   por   alvenaria,   concreto   ou   outro   material   que   mantenha   os   aspectos  básicos   de   segurança,   longevidade   e  resistência,   onde   ocorre   um   processo   de  decantação,   no   qual   a  parte   sólida   se   deposita   no   fundo   para   sofrer   decomposição  por   bactérias   anaeróbicas.   O  tanque   contém   uma   válvula   de   escape   para   que   os  gases   produzidos   pelas   bactérias   no   processo   de   fermentação   possam   escapar.  Conforme   a  fossa   se   enche,   o  líquido   ali   contido   passa   por   um   cano   na   parte  superior   da   fossa   para   a  parte   inferior   do   segundo   tanque,   no   qual   o  líquido   é  filtrado  através   de   rochas,   cascalho   e  areia.   Após   esse   processo   de   filtração,   o  líquido   é  depositado   em   outro   tanque   denominado   de   sumidouro,   onde   posteriormente   é  reutilizado   ou   devolvido   ao   meio   ambiente.   Alguns   sistemas   de   fossa   séptica  incluem   mecanismos   para   adição   de   reagentes   como   o  cloro.    O   tamanho   do   tanque   varia   de   acordo   com   a  quantidade   de   indivíduos   que   utilizem  o   esgoto   sanitário.   O  esgoto   originário   de   pias   e  ralos   não   deve   entrar   em   contato  direto   com   os   resíduos   direcionados   à  fossa   séptica,   pois   os   materiais   químicos,  como   os   materiais   de   limpeza,   interferem   no   processo   de   decomposição,   matando  as   bactérias.    Por   contar   com   vários   microrganismos   infecciosos,   medidas   de   segurança   devem  ser   tomadas   antes   da   construção   ou   instalação   da   fossa   séptica.   Ela   não   deve   ser  instalada   próximo   à  poços   artesianos,   para   evitar   que   vazamentos   ou   a  própria   água  que   o  poço   libera,   entre   em   contato   com   a  água   de   consumo   humano,   animal   ou  vegetal.   Quando   a  fossa   possui   instalação   subterrânea,   as   tampas   não   devem   ser  muito   grandes,   para   minimizar   riscos   de   desabamento.   Fossa   sépticas   mal  instaladas   ou   mal   construídas   podem   ocasionar   grave   contaminação   dos   lençóis  freáticos,   introduzindo   agentes   infecciosos   na   água   de   consumo   da   região.              Sistema   Wetlands   Construídos    Os   sistemas   wetlands   construídos   são   uma   tecnologia   para   tratamento   de   águas   e  efluentes   por   mecanismos   puramente   naturais.   A  principal   característica   destes  sistemas   é  o  uso   de   vegetação   aquática   que   aumenta   a  sua   eficiência   e  permite   a  construção   de   um   espaço   esteticamente   atraente,   podendo,   em   vários   casos,   serem  concebidos   como   obras   de   arte   de   paisagismo.      Nos   wetlands   construídos   a  principal   característica   que   resulta   em   redução   de  custos   é  a  sua   operação,   manutenção   e  longevidade.   Como   não   há   a  necessidade  de   aeradores,   como   em   uma   lagoa   aerada   ou   lodos   ativados,   não   há   o  consumo   de  energia   elétrica   para   o  funcionamento   do   sistema.   Eventualmente,   dependendo   do  projeto   em   questão,   pode   ser   necessária   a  instalação   de   um   tanque   de   equalização  de   vazões,   o  que   exige   aeradores   e  bombas,   mas   os   equipamentos   estarão  presentes   apenas   nesta   etapa   do   sistema,   e  não   no   reator   propriamente   dito.    Outro   diferencial   a  ser   comentado   é  a  não   geração   de   lodo,   o  que   reduz  significativamente   os   custos   com   transporte,   estabilização   e  secagem   destes  resíduos   sólidos.   O  lodo   nestes   sistemas   é  degradado   dentro   do   meio   filtrante.    Cada   grupo   de   poluentes   (orgânicos,   inorgânicos,   patógenos)   segue   rotas  específicas   de   degradação   ou   remoção.   Em   resumo,   podemos   dizer   que   nesses  sistemas   ocorrem   processos   físicos   (filtração,   sedimentação,   volatilização),  químicos   (adsorção,   oxidação,   redução,   precipitação,   quelação)   e  biológicos  .

https://www.pdf-archive.com/2017/06/11/trabalho-trat/

11/06/2017 www.pdf-archive.com

Parecer MPF 77%

Alega o requerente que esta discriminação viola amplamente o princípio da isonomia, de modo a dar tratamento diferente a situações aparentemente idênticas.

https://www.pdf-archive.com/2018/02/21/parecer-mpf/

21/02/2018 www.pdf-archive.com

Manual do Segurado - Versátil 77%

• Acidente Pessoal é a ocorrência com data caracterizada, exclusiva e diretamente externa, súbita, imprevisível, involuntária e violenta, causadora de lesão física que, por si só e independentemente de toda e qualquer outra causa, torne necessário tratamento médico;

https://www.pdf-archive.com/2015/11/04/manual-do-segurado-vers-til/

04/11/2015 www.pdf-archive.com

8. Conferencia PatriciaJeronimo 76%

e • promovendo a confluência dos equilíbrios societais mais relevantes SIM Autoridade ou Organismo Público Operações de tratamento que exijam um controle regular e em grande escala ou que importem o tratamento de categorias especiais de dados (dados sensíveis e dados relacionados com condenações penais e infrações) Quando obrigados por lei nacional (Alemanha) A AMT é a primeira Autoridade portuguesa compliance com a exigência do Regulamento Princípio da Transparência Princípio da Legalidade

https://www.pdf-archive.com/2016/11/10/8-conferencia-patriciajeronimo/

10/11/2016 www.pdf-archive.com

vinil tramado apresentaçao 76%

É resistente aos raios UV, às variações de temperatura e aos produtos indicados para o tratamento de água da piscina, além de receber o tratamento biocida, que evita proliferação de microorganismos.

https://www.pdf-archive.com/2018/04/20/vinil-tramado-apresentacao/

20/04/2018 www.pdf-archive.com

5. Conferencia JoseCarlosMartins 75%

NOVO REGULAMENTO DE PROTEÇÃO DE DADOS Preocupações e Desafios das Empresas Conferência Preocupações, Desafios e Oportunidades para as Empresas || Fórum Tecnológico || Lisboa 03.11.2016 • Regulamento Europeu de Proteção de Dados (GDPR), publicado a 25 Maio 2016, relativo à proteção das pessoas físicas no que respeita ao tratamento dos dados pessoais e à livre circulação destes;

https://www.pdf-archive.com/2016/11/10/5-conferencia-josecarlosmartins/

10/11/2016 www.pdf-archive.com

Engenharia Hídrica 74%

Orientar e monitorar a captação, emprego, transporte e tratamento das bacias hídricas para uso consciente dos mananciais e elaborar projetos para a realização de sistemas otimizados de abastecimento de água, redes de esgoto, barragens e de drenagem estão entre as suas funções.

https://www.pdf-archive.com/2018/12/13/engenharia-hidrica/

13/12/2018 www.pdf-archive.com