Introdução .pdf

File information


Original filename: Introdução.pdf
Author: Pedro Mauricio

This PDF 1.5 document has been generated by Microsoft® Word 2016, and has been sent on pdf-archive.com on 09/10/2016 at 17:59, from IP address 177.183.x.x. The current document download page has been viewed 313 times.
File size: 246 KB (2 pages).
Privacy: public file


Download original PDF file


Introdução.pdf (PDF, 246 KB)


Share on social networks



Link to this file download page



Document preview


Introdução

O metabolismo dos seres vivos deve fornecer condições ideais para que as reações
químicas ocorram na velocidade e sequência correta, além de necessitarem ser altamente
específicas. Grande parte dessa função de regulação de reações, sequenciamento das reações, catalisação e produção de macromoléculas. Em maior parte, as enzimas são proteínas, porém algumas são RNA catalíticas. (NELSON, COX, 2011)
Fatores como pH e temperatura podem interferir na atividade das enzimas. Locais
específicos de uma proteína, onde se ligam os compostos que são por ela catalisados, são
chamados de sítio ativo e sua forma tridimensional pode ser alterada pelo pH e temperatura, evidenciando sua dependência estrutural em relação ao meio circundante. Existe
uma faixa de pH ótimo para as enzimas, assim como uma temperatura, em que a atividade
enzimática é máxima. Alterações na temperatura e pH, portanto, podem alterar a estrutura
e restringir a ação de uma enzima. (TORRES, MARZZOCO, 2015)
Cinética de uma reação enzimática é o estudo baseado na velocidade da reação. A
ação de uma enzima, inclui uma enzima livre, substrato (reagente), o complexo enzimasubstrato e um produto, de acordo com a expressão 𝐄 + 𝐒 → 𝐄𝐒 ⇄ 𝐄 + 𝐏. Este processo
é dado em fases, primeiro a enzima liga-se ao substrato e forma o complexo enzimasubstrato; em seguida, o produto é liberado junto com a enzima. (TORRES, MARZZOCO, 2015)
Leonor Michaelis e Maud L. Menten desenvolveram uma fórmula, que explicava
a relação da velocidade da reação com a concentração de substrato. Assim chegaram a
fórmula:

𝐕𝟎 =

𝐕𝐦á𝐱 [𝐒]
𝐊 𝐌 + [𝐒]

Onde V0 é a velocidade inicial, Vmáx é a velocidade máxima, [S] é a concentração
de substrato e KM é a constante de Michaelis. O gráfico da velocidade em função da concentração do reagente resulta em uma hipérbole. A constante de Michaelis é o valor da
concentração quando é obtida a metade da velocidade máxima e quanto menor seja o
valor obtido, reflete na maior afinidade de uma enzima por um dado reagente. (TORRES,
MARZZOCO, 2015)

Caso a concentração do substrato seja muito menor ao KM, a equação de Michaelis-Menten, se reduz à uma equação de reta. Quando a concentração do substrato é muito
superior ao KM, a equação torna-se V0 = Vmáx, assim a velocidade da reação é total e
constante. (TORRES, MARZZOCO, 2015)
Com a hipérbole gerada pela velocidade em função da concentração, não é possível obter-se valores exatos para Vmáx, pois ali existe uma assíntota. Portanto, utiliza-se a
fórmula de Lineweaver e Burk, que utiliza valores inversos da equação de MichaelisMenten, que resulta em uma equação do primeiro grau. A partir deste gráfico é possível
obter-se o valor de da velocidade máxima mesmo que este não seja alcançado. (TORRES,
MARZZOCO, 2015)
As enzimas invertases hidrolisam a sacarose, resultando em glicose e sacarose,
essa mistura também é conhecida por açúcar invertido, muito utilizado na indústria de
alimento. A reação se dá pela liberação de L-D-frutofuranosidio não-redutor a partir de
um reagente dissacarídeo, geralmente a sacarose, que resulta em soluções equimolares de
frutose e glicose. (MOURA, PINTO, RODRIGUES, 2007; ALMEIDA, 2003)
Figura 1 – Ação da invertase sobre a sacarose, gerando glicose e frutose.

Fonte: Alessandra Negri.


Document preview Introdução.pdf - page 1/2

Document preview Introdução.pdf - page 2/2

Related documents


introduc o
material e metodos
exerc cios complementares
especificaciones tcnicas
tema 3 tecnolog a de clonaci n parte i
exames

Link to this page


Permanent link

Use the permanent link to the download page to share your document on Facebook, Twitter, LinkedIn, or directly with a contact by e-Mail, Messenger, Whatsapp, Line..

Short link

Use the short link to share your document on Twitter or by text message (SMS)

HTML Code

Copy the following HTML code to share your document on a Website or Blog

QR Code

QR Code link to PDF file Introdução.pdf